Mulher grávida é flagrada tentando entrar com cocaína na cadeia

Fotos: Valéria Cuter

A Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) realizou um flagrante de tráfico de entorpecente, tendo como indiciada Rosinete Telles, de 32 anos de idade, que está no seu quinto mês de gestação. Ela pretendia fazer com que uma sacola com 25 gramas de cocaína, divididas em cinco porções, escondidas em um saquinho de pão de forma, chegasse até o detento Valdir Cláudio de Souza Pereira, de 25 anos, que é de Laranjal Paulista e está preso por crime de tráfico de entorpecente, aguardando seu julgamento.

Rosinete também é de Laranjal Paulista e veio fazer visita ao seu marido que foi preso quinta-feira da semana passada, mas alegou não conhecer Valdir. “Quando estava apanhando um táxi em Laranjal Paulista para vir a Botucatu, a ex-mulher dele (do Valdir) pediu para entregar uma sacola a ele. Na revista os policiais encontraram a droga, mas não sabia de nada disso. Só estava fazendo um favor”, defendeu-se a mulher.

Valdir Pereira confirmou a versão da mulher. Foi tirado de sua cela e encaminhado ? DISE para prestar depoimento. “Ela disse a verdade, porque a droga era minha. Ela e o marido que está preso aqui (em Botucatu) não têm nada com isso. A única coisa que é certa é que somos todos de Laranjal Paulista e moramos na Vila Zalla, mas não temos nada em comum. Ela entrou de gaiata nessa história”, assegurou o detento.

O delegado Carlos Antônio Improta Julião Filho, depois de ouvir a versão de ambas as partes envolvidas, fez o indiciamento dos dois por crime de tráfico de entorpecentes. Como Valdir Pereira já está preso por tráfico sua situação se agravou perante a Justiça. Já Rosinete foi recolhida ? Cadeia Pública transitória de Itatinga e nas próximas horas deverá ser encaminhada ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pirajuí.

“Embora ele tenha assumido toda a responsabilidade, a mulher também foi indiciada por estar transportando a droga e o marido dela já está preso por tráfico. Os três (a mulher e os dois detentos) são de Laranjal Paulista e se conhecem. Instaurei o inquérito policial para que o caso seja, oportunamente, analisado pelo Ministério Público”, colocou Julião Filho.