Júri popular condena réu por homicídio tentado

Fotos: David Devidé / arquivo

 

Ivan Souza Neto, de 33 anos de idade, conhecido como “Pateta” foi condenado a 4 anos e um mês de detenção por crime de tentativa de homicídio, cometido no dia 19 de agosto de 2012, na Rua José Maurício de Oliveira, na Cohab I,  contra Samuelson Soares da Rocha, de 39 anos, depois de uma discussão. A vítima foi atingida por um disparo de arma de fogo (revólver calibre 38) que atingiu o seu pescoço.

O julgamento de Ivan Neto foi realizado no Tribunal de Júri de Botucatu foi presidido pelo  juiz Marcus Vinicius Bachiega, tendo como representante do Ministério Público, o promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino. Réu teve atuando em sua defesa o advogado, Ezeo Fusco Júnior. O Conselho de Sentença (jurados) foi formado por sete pessoas da sociedade botucatuense. Como o réu cumpriu mais de 1/6 da pena, ganhou o direito de cumprir restante da pena em regime aberto.

Na ocasião do crime constou-se no Boletim de Ocorrência (BO) confeccionado no Plantão Permanente pela delegada Ana Carolina de Brito, que os policiais militares cabo Tavares e soldado De Moraes foram acionados para comparecer ao local onde a vítima estava em estado grave, sangrando muito, sendo socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). O autor do crime havia fugido.

Patrulhando pelas imediações os policiais perceberam quando o suspeito pulou um muro e entrou em uma casa em obras. A perseguição foi feita e ele acabou sendo detido em um dos cômodos. Embora tenha negado o crime, Pateta recebeu voz de prisão e foi recolhido à Cadeia Pública local. Samuelson foi internado no Hospital das Clínicas (HC) da Unesp e permaneceu internado em estado grave por vários dias.  Embora o autor do crime tenha sido preso a arma não foi localizada.