GCM realiza a captura de um veado catingueiro

Acionados por populares, os guardas municipais inspetor Belo e  agente Marcos, compareceram a uma casa instalada às margens da Rodovia  Antônio Butignolli, Bairro Árvore Grande, onde a pessoa solicitante  informou que ao acordar pela manhã notou a presença de um veado catingueiro em seu quintal, com a pata traseira direita ferida.

O animal foi recolhido e encaminhado ao Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (Cempas), da Unesp,  sendo entregue aos cuidados da equipe comandada pelo professor doutor Carlos Teixeira, responsável pela instituição, para ser tratado, medicado e, posteriormente, reintegrado na natureza.

Carlos Teixeira lembra que muitos animais chegam à área urbana e buscam refúgio em residências porque estão perdendo seu espaço na natureza. “Cada vez mais estão diminuindo bosques e florestas e isso está fazendo com que os animais entrem em contato com o ser humano e acabem feridos e até mortos”, explica o professor.

Ele orienta para que quando uma pessoa perceber um animal silvestre no seu quintal não deve matá-lo ou tentar capturá-lo.  “A orientação é para que acione o Corpo de Bombeiro, Polícia Ambiental, Vigilância Ambiental ou Guarda Municipal que estão capacitados para fazer o manuseio correto”, conclui Teixeira.