Força Tática prende mulher por crime de assassinato

Foto: Valéria Cuter

 

Dentro de um dos barracos da Vila dos Pescadores eles encontraram  o corpo de Alessandra Martins, com várias perfurações feitas à faca por Ana Cláudia Gomes

 

Viaturas da Força Tática da Polícia Militar de Botucatu, uma com o sargento Leonardo, cabos Torres e R. Silva e soldado Balarin e outra com o  sargento Neto, cabo Bianconi e  soldado Mácoris, estiveram na  Colônia de Pescadores, que fica  próxima a ponte do Rio Tietê (Ponte do Jaú),  às margens da SP-191 Rodovia Geraldo Pereira de Barros, km 159, para atender a um caso de assassinato.

Tudo começou quando os policiais militares cabo Vital e soldado Alcântara, de Anhembi, receberam a informação de que teria ocorrido um homicídio naquela colônia. Como o local é de difícil acesso e considerado perigoso, foi acionada a Força Tática que deslocou-se ao local para vistoriar os barracos.

Dentro de um dos barracos eles encontraram  o corpo de Alessandra Martins de 32 anos, com várias perfurações feitas à faca. Em diligência os policiais levantaram informações que a autora do crime, chamada Ana Cláudia Gomes,  de 27 anos, estaria escondida na  Colônia de Pescadores localizada na ponte do Rio Piracicaba, também na SP-191.  As viaturas se deslocaram até o local e localizaram Ana Claudia escondida embaixo da cama de um dos barracos.

Na cela da delegacia, indagada sobre o crime,  alegou que a vítima (Alessandra) estava tendo um caso amoroso com seu companheiro. "Na verdade eu não gostava dele, mas tem que haver respeito. E ela não teve, porque era muito folgada e sempre queria tirar pra cima de mim. Chamei ela para conversar, dei as cinco facadas e pisei na garganta dela. Agora não sei o que o o que vai ser", disse a mulher. 

Após receber voz de prisão a mulher foi conduzida ao Distrito Policial de Anhembi, onde o delegado Geraldo Franco Pires, elaborou o flagrante de homicídio e fez o seu encaminhamento à Cadeia Pública de Porangaba. Nas próximas horas  Ana Cláudia deverá  ser escoltada ao Centro de Detenção Provisório (CDP), de Pirajuí.