DIG esclarece falsa comunicação de roubo

Um taxista de 33 anos de idade que fez falsa comunicação de um roubo foi desmascarado pelos policiais Caio e Virgílio (foto) da equipe especializada da Delegacia de Investigações Gerais (DIG). Esse cidadão que trabalha como taxista em Conchas denunciou a um crime de roubo que teria sofrido na primeira hora do dia 27 de março, em Botucatu, no cruzamento das ruas Campos Salles com a Dr. Costa Leite região central da Cidade. Na ocasião atenderam a suposta vítima os policiais militares soldados Bianchi e Conti.

Esse cidadão informou que morava em Conchas e sendo taxista foi chamado por uma amiga que mora na Cecap, Vila Nogueira, para ir buscá-la e levá-la até Conchas. No momento em que parou o veículo no semáforo aproximou-se uma motocicleta com dois ocupantes. O que estava no banco de passageiro, armado com um revólver anunciou o roubo subtraindo o veículo tomando rumo ignorado. Ele teria ido a pé até o encontro da solicitante e acionou a seguradora.

Após fez contato no Grupamento de Bombeiros que acionou a Policia Militar e ele foi conduzido ao Plantão Permanente onde o delegado Mauro Sérgio Rodrigues dos Santos elaborou o Boletim de Ocorrência (BO). O carro é um Fiat Palio Weekend 2010, de cor cinza, placas DPB-5866, de Conchas.

{n}A verdade {/n}

Entretanto, toda essa versão do taxista foi desmontada numa entrevista que os policiais civis fizeram para coletar dados do crime. “Quando ele relatou o caso, percebemos que as coisas não se encaixavam e o questionamos em vários pontos. Vendo que não podia mais continuar com a farsa decidiu revelar o que realmente havia acontecido”, colocou o investigador Caio.

Na verdade o carro em questão está inserido em um processo de inventário da família e ele inventou o assalto para ficar com o veículo e foi ajudado por um comparsa que ficou guardando o Fiat. “Com sua confissão o caso foi solucionado e o carro está sendo procurado. Ele prestou depoimento e foi liberado, mas terá que prestar contas ? sua família sobre o seu ato”, frisou o policial Virgílio.