Cobra cascavel é capturada embaixo de guarda-roupa

A guarnição do Grupo de Proteção Ambiental (GPA) da Guarda Civil Municipal (GCM) com os agentes Rodrigues e Prado foi acionada via 199 a comparecer ao Sitio Jequitibá, região conhecida como Pátio Oito, para capturar uma serpente que havia entrado na casa de uma mulher de 71 anos de idade.

Quando os agentes entraram na casa a cobra havia se refugiado embaixo do guarda roupa do quarto. Ao capturar o animal eles detectaram que se tratava de uma cobra cascavel, como 80 centímetros de comprimento, uma das mais perigosas e mortíferas serpentes venenosas do reino selvagem.

Os agentes efetuaram a captura e fizeram o encaminhamento da serpente ao Centro de Estudos e Venenos e Animais Peçonhentos (Cevap) da Unesp de Botucatu, onde ficou aos cuidados da bióloga responsável pelo local para ser tratada e deverá permanecer por, pelo menos, 60 dias sob observação.

{n}Características da serpente{/n}

A cascavel por ser responsáveis por 8% dos acidentes ofídicos que ocorrem no País, está entre as mais temidas serpentes brasileiras. Fiel aos hábitos da grande maioria das serpentes, só costuma atacar o homem quando se sente molestada por ele, ocasião em que reage com agressividade. Vive em toda América do Sul e prefere campos abertos e regiões secas e pedregosas.

Quando se sente ameaçada, enrola-se quase que por inteiro, mantendo erguida em forma de “S” a parte anterior do corpo. Então, levanta a cauda e começa a vibrá-la rápida e vigorosamente, emitindo o característico som de seu guizo (um “chocalho” localizado na parte terminal da cauda), fazendo um ruído que pode ser ouvido a dezenas de metros.