“Pernambuco” será julgado por homicídio qualificado

Sob a presidência do juiz titular da 2ª Vara de Justiça, Marcus Vinícius Bachiega, o Tribunal de Júri de Botucatu se reúne nesta quinta-feira (15) para desenvolver mais um julgamento na Comarca. Senta-se no banco dos réus, José Roberto Vieira da Silva, conhecido como Pernambuco, de 47 anos de idade, que será submetido ao crivo do Conselho de Sentença, por ter sido denunciado como o autor do assassinato contra Alício Tardivo, cometido na noite do dia 26 de julho de 2009 (processo 18/11).

Consta que, no dia dos fatos, Tardivo estava em seu bar na Rua Guimarães Carmelo, no Jardim Aeroporto e presenciou uma briga entre os familiares do réu (irmã e cunhado) no interior do seu estabelecimento comercial e teria tentado intervir nessa briga para separar, colocando o casal para fora do bar.

Pernambuco, que estava numa casa ao lado assistindo a um jogo de futebol com uma faca na mão descascando uma laranja, ouviu o entrevero e não gostou de ver a intromissão do comerciante na briga do casal e acabou desferindo-lhe um golpe de faca que atingiu suas costas, causando-lhe ferimentos que o levaram ? morte. Após o crime Pernambuco fugiu, sendo preso semanas mais tarde e denunciado pela promotoria.

Na defesa de Pernambuco estará o advogado criminalista Sérgio Argilio Lorencetti, que tentará convencer o Corpo de Jurados composto por sete pessoas (entre homens de mulheres) da sociedade botucatuense, da inocência do réu, devendo usar em plenário como tese o argumento da legítima defesa e tentar descaracterizar o crime de homicídio duplamente qualificado para lesão corporal seguida de morte.

Na acusação, como representante do Ministério Público, estará o promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino. O julgamento acontece no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Subsecção de Botucatu, com início previsto para as 9 horas e entrada aberta para o público interessado em assistir os debates entre a acusação e defesa.