Veterinária da Unesp vai ? s escolas falar sobre zoonoses

Com o fim do semestre letivo na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp, câmpus de Botucatu, chegou ao final também mais uma edição do projeto de extensão “Educação em Saúde: o papel do Médico Veterinário no Controle do Zoonoses”.

Realizado há mais de 10 anos, sob a coordenação do professor Hélio Langoni, do Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública, com apoio da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da Unesp (Proex), o projeto leva as principais informações sobre a ocorrência de zoonoses para os estudantes da rede pública de ensino. O objetivo é proporcionar ao público um conhecimento básico das medidas que devem ser tomadas para evitar a ocorrência das doenças nos animais e nos seres humanos.

O trabalho envolve os alunos do 4º ano do curso de graduação em Medicina Veterinária da FMVZ que cursam a disciplina “Zoonoses”. No início do semestre, o professor Langoni faz o convite aos alunos que queiram participar. Neste ano, a equipe de trabalho foi formada por um grupo de alunos voluntários e dois bolsistas da Proex, com apoio da pós-graduanda Lucilene Granuzio Camossi. Antes de iniciar o giro pelas escolas, os futuros veterinários recebem um treinamento específico, com o conteúdo técnico de zoonoses como raiva, leptospirose, leishmaniose, toxoplasmose, entre outras.

Como o curso de Medicina Veterinária é integral, as visitas ? s escolas acontecem no período noturno. No segundo semestre de 2012, seis escolas foram visitadas. “O projeto exige comprometimento e dedicação dos alunos”, analisa o professor Langoni. “Em troca, eles têm a oportunidade de vivenciar uma realidade diferente e de transmitir para a sociedade os conhecimentos que estão adquirindo durante a graduação”.

Segundo o professor, o 4º ano é um período ideal da graduação para a realização desse tipo de atividade. “São alunos que já têm um certo grau de maturidade e já estudaram patologia clínica, enfermidades infecciosas, imunologia e microbiologia. Ao falar para um público leigo, eles sentem a importância dessa formação multidisciplinar e podem avaliar a importância do profissional de medicina veterinária nas atividades de prevenção”.

Para o bolsista da Proex Maurício Gianfrancesco Filippi a experiência foi muito positiva. “Achei importante ter participado do projeto porque ajuda a fixar o conhecimento sobre as zoonoses e nos dá a chance de prestar um serviço para a comunidade, passando um pouco do que aprendemos na Faculdade para pessoas sem tanto acesso ? informação”.

Felipe André Bonfiglioli também participou como bolsista Proex e destacou a importância da percepção da atuação do médico veterinário na área de saúde pública. “Falamos sobre assuntos com os quais as pessoas não estavam familiarizadas e todos demonstraram curiosidade e interesse no assunto. Houve uma comunicação muito saudável entre nós e os alunos das escolas públicas que nos fez perceber como podemos ser úteis para a sociedade”.

Segundo os participantes, a repercussão das palestras é tão positiva que surgem até perguntas sobre diversos assuntos relacionados ? medicina veterinária e outras doenças que ocorrem nos animais, principalmente em cães e gatos. “Dessa forma acabamos até nos acostumando a falar em público”, conta Felipe. “Eu recomendo muito a participação no projeto. Valeu a pena”, complementa Maurício.

O professor Langoni lembra que ao longo dos dez anos de trabalho, o projeto já foi levado a municípios vizinhos como Bauru, Areiópolis, Pardinho e São Manuel. Se depender dele, por todos os benefícios que gera, as atividades vão continuar nos anos seguintes. “O projeto é importante por fazer a Faculdade sair dos seus muros e cumprir sua função de extensão, ao mesmo tempo que leva os alunos para ter contato com a realidade, complementando sua formação, permitindo que eles exerçam a cidadania e ajudem a melhorar a vida das pessoas”.