Trabalhadores de presídio em Itatinga encerram greve

Depois de uma interrupção nos trabalhos por nove dias, por reajuste salarial de 8,34%, a  empreiteira CG Construções Ltda entrou em acordo com Sindicato da Construção Civil de Botucatu e a greve nas obras  de construção do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Itatinga,  foi encerrada. O movimento envolveu 130 trabalhadores, que estão realizando a obra financiada pelo Governo do Estado. Os trabalhos foram retomados na manhã desta quarta-feira.

O Relações Públicas do sindicato,  José Luis Fernandes, explicou que a construtora aceitou  negociar as perdas salariais dos trabalhadores do últimos meses e o acordo acabou sendo consolidado. “A greve foi iniciada após uma assembleia e a maioria presente optou pela paralisação. Demos o prazo legal de 72 horas para que a empresa se manifestasse. Como isso não aconteceu a greve foi deflagrada”, disse Fernandes.

O CDP que está em fase final de construção fica no km 228 da Rodovia Castello Branco, sentido interior, no Distrito do Lobo,  Município de Itatinga.  Segue as normas arquitetônicas de outras unidades já construídas em diferentes cidades do Estado de São Paulo e tem capacidade para abrigar cerca de 760 presos. Hoje a demanda de presos da região de comando da seccional que agrega 13 cidades gira em torno de 400 detentos.