Resiplan explica motivos de trincas e vazamento de água no Fórum

Em razão de estar havendo início de fissuras (trincas) e vazamento interno em portas e janelas em dias de chuva e outras especulações sobre a obra, a Empreiteira Resiplan, responsável pela construção do prédio, elaborou um documento dando explicações sobre alguns problemas no prédio que foi inaugurado no dia 4 de dezembro do ano passado.

No documento, que também foi encaminhado ao Acontece por um advogado, está descrito que a empresa consolidou seu nome através de uma historia de mais de 30 anos, construiu as mais diversas obras com pequena e grande complexidade, somando mais de um milhão de metros quadrados construídos.

“São escolas, indústrias, residências, restaurantes, clubes, empreendimentos imobiliários de pequeno e grande porte, tais como, Residencial Manhattan com 3.000 m2, conclusão do Residencial Vila Romana, 7.000 m2, Vivendas de La Salle com 38.000 m2 e obras públicas das mais variadas espécies para órgãos como Unesp, Famesp, Centro Paula Souza, DER”, enumera o documento.

Cita que dentre os clientes que fizeram parte da historia da Resiplan, estão a Embraer, Duratex, Eucatex, Caio, Irizar, Centroflora, La Salle, Rede Graal, dentre outros “que poderão atestar a qualidade dos serviços prestados”.

Especificamente, sobre o Fórum a empresa revela que em 2011 entregou ? Prefeitura de Botucatu e, principalmente, a população da cidade a obra do novo prédio, que foi inaugurado por motivos alheios ? sua vontade, apenas no final de 2012 e em respeito ? classe de advogados, juízes, promotores, funcionários e população, vem esclarecer alguns fatos sobre a obra.

“A Resiplan executou um projeto elaborado pelo Governo do Estado de SP, o qual apresentou diversas imperfeições em sua concepção. Desde o início alertamos a fiscalização da mesma quanta a itens que se não alterados acarretariam problemas no futuro. Apenas para exemplificar, podemos citar: esquadrias metálicas (janelas e portas). Alertamos quanto ? falha de projeto e a falta de vedação e apresentamos um projeto alternativo que não foi autorizado a sua execução (temos farta documentação comprovando este fato). Fissuras em paredes e piso ocorrem devido a movimentação natural da estrutura pré-moldada em contato com o fechamento em alvenaria e o piso. Apresentamos uma alternativa antes do início da execução, a qual também não foi aceita. Embora não sejam estruturais, afetam a estética do prédio.

São apenas dois exemplos, dentre muitos que a Resiplan procurou solucionar, sempre visando entregar uma obra digna para a cidade de Botucatu. Qualquer tentativa de deturpar os fatos e tentar responsabilizar a Resiplan, não logrará êxito, pois os fatos falam por si. Portanto, a Resiplan, a exemplo de tudo que já executou em sua trajetória, entregou a obra de acordo com o contratado, não podendo ser responsabilizada por um projeto elaborado pelo Governo do Estado de SP”.