Professor do IB participa de evento na Índia

Nos dias 14 e 15 de dezembro, o professor Willian Fernando Zambuzzi, do Departamento de Química e Bioquímica do Instituto de Biociências (IB) da Unesp, câmpus de Botucatu, participou do encontro “International Workshop on Wound Healing and Angiogenesis”, realizado na cidade de Chennai, costa sudeste da Índia.

O evento foi organizado pela AU-KBC Research Centre, Anna University, e promovido pelo projeto “The interplay among bone cells, matrice and systems” (Interbone), que consiste em uma rede internacional de cientistas que investigam a interação entre as células ósseas e outros sistemas, e da qual o docente do IB é um dos integrantes.

O Interbone é composto por pesquisadores do Brasil, Estados Unidos, Índia, Itália e Países Baixos e os estudos são focados em três vertentes: metabolismo energético, desenvolvimento de doenças da medula óssea e consolidação da fratura, regeneração de tecidos e implantes ortopédicos por meio da utilização de materiais biocompatíveis. Trata-se de um projeto financiado pela Comunidade Européia com vistas ao intercâmbio de alunos de pós-graduação. As atividades tiveram início em 2012 e devem se estender até 2015.

Segundo Zambuzzi, o objetivo do encontro realizado na Índia foi que os líderes dos grupos que compõem esse consórcio apresentassem os trabalhos que desenvolvem com o intuito de integrar e fortalecer a rede científica.

O professor do IB coordena estudo que visa compreender os circuitos moleculares que são regidos pela ativação e desativação de proteínas por meio de fosforilação e também a aplicação desses circuitos na busca de biomarcadores que possam contribuir para a descoberta de novas drogas que sejam capazes de modular o tecido ósseo. A osteoporose é um dos problemas de saúde pública contemplados pela investigação. Segundo Zambuzzi, mecanismos que envolvem fosforilações são importantes por modificarem covalentemente a estrutura tridimensional das proteínas, conferindo-as estado ativo ou inibido.

“Buscamos padronizar métodos alternativos ao uso de animais de experimentação, utilizando células. Atuamos em uma linha que procura desenvolver biomateriais funcionais que reabilitem mais rápido o paciente e em outra relacionada ao metabolismo ósseo”, explica Zambuzzi. “Nosso estudo é parte da medicina regenerativa que visa estabelecer um tecido perdido de maneira funcional, através de protocolos em bioengenharia de tecidos”, acrescenta o pesquisador.

Por meio do Interbone, o docente do IB já recebeu no Brasil uma pesquisadora de doutorado da University of L´Aquila, na Itália, e outra da instituição holandesa Erasmus Medical Center of Rotterdam. Alunos do IB orientados por ele também poderão participar de intercâmbios em instituições da rede científica.
Para o desenvolvimento dos estudos, Zambuzzi conta com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Interbone, além de possuir projeto submetido ? Fundação de Amparo ? Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), em fase de análise.

Da Assessoria