Instalações do Cempas da Unesp passarão por reformas

Referência no ensino, pesquisa e atendimento de animais selvagens, o Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Selvagens (Cempas) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp, câmpus de Botucatu, vai ter suas instalações ampliadas e reformadas.

As obras serão feitas com recursos do Fundo de Interesses Difusos (FID) do estado de São Paulo. Orçadas em 2 milhões de reais, permitirão triplicar a capacidade de internamento, além de adequar os recintos, atendendo a todas as exigências de segurança para os servidores e de bem estar para os animais.

“Hoje estamos aqui de forma improvisada, utilizando instalações que pertenceram ao Centro de Estudo de Venenos e Animais Peçonhentos (Cevap) da Unesp e do antigo canil do Biotério”, conta o professor Carlos Roberto Teixeira, responsável pelo Cempas.

O projeto também prevê a construção de um anfiteatro para oitenta lugares e dois centros cirúrgicos próprios, para grandes e pequenos animais. “Além de aumentar a capacidade de pesquisa, quase todos os procedimentos hospitalares poderão ser realizados dentro do próprio Cempas, diminuindo o risco de exposição dos animais silvestres a doenças dos animais domésticos e vice-versa”, explica o professor.

Também serão construídos câmara frigorífica para acondicionar alimentos, almoxarifado, estacionamento próprio e uma sala para pós-graduandos equipada com doze computadores. “Estarão contempladas todas as nossas necessidades de ensino, pesquisa e extensão. Tudo foi previsto, desde o recebimento, tratamento e internamento dos animais, além de aulas e pesquisas”, afirma o professor Teixeira.

Selecionado pelo FID em 2014, o projeto passou por todas as etapas do trâmite administrativo até ser aprovado. Com a primeira parcela da verba, já foi feito todo um projeto completo para as instalações. O próximo passo é abrir uma licitação para o início das obras. Até o final de 2016, o novo Cempas deve estar em pleno funcionamento.

Vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, o FID é mantido por ações civis públicas e seus recursos são destinados ao ressarcimento, à coletividade, dos danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico, no âmbito do território do Estado de São Paulo.