Horário de verão muda o cotidiano das pessoas

Desde a primeira hora deste domingo (21) começou a vigorar o horário de verão 2012 e os relógios foram adiantados uma hora nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste do Brasil, além do Estado da Bahia. Sendo assim, a madrugada de domingo não teve a meia-noite. O novo horário terá validade até dia 17 de fevereiro de 2013.

A normativa gera os mais vários tipos de situações. Para muitos uma hora a menos de sono faz grande diferença. Em contrapartida, o dia se torna mais longo, já que a noite só chega após ás 20 horas e é um bom momento de aproveitar mais os dias para fazer caminhadas, conversar com os amigos e aproveitar o calor do verão, ainda economizando energia.

Educadores físicos indicam que o cada organismo tem seu próprio tempo para se adaptar ao novo horário. Enquanto algumas pessoas se acostumam rapidamente, em um ou dois dias, há quem demore até duas semanas para se adaptar.

Para eles, o importante é que nesses primeiros dias as pessoas que têm dificuldade para acordar cedo naturalmente tentem ir dormir um pouco mais cedo. Principalmente, crianças, que dão trabalho para levantar para ir ? escola. Na alimentação, para conseguir dormir mais cedo, a orientação é evitar bebidas com cafeína e alimentos com muito açúcar.

Outro detalhe é que o horário de verão deve influenciar o comportamento de consumo já que pode estimular o consumidor a demorar mais para voltar para casa e, com isso, abrir maior espaço para a frequência em bares, restaurantes, lojas comércio e clubes. O horário de verão deve acrescentar entre 7% a 10% nas vendas totais do comércio.

{n}Objetivo{/n}

O horário de verão foi adotado pela primeira vez no território brasileiro no ano de 1931 e depois de muitas idas e vindas, devido ao fato de muitos não aceitarem o horário, ele retornou no ano de 1985 e agora é colocado anualmente e depois de alguns anos, mais precisamente no ano de 2008 foi decretado por lei, a data de início e fim do horário de verão.

Basicamente, visa a economia do consumo de energia por meio do melhor aproveitamento da luz natural do dia, ou seja, tem como base a diminuição do tempo em que as pessoas precisam ficar com a luz acesa.

O principal objetivo do governo é atenuar o consumo de energia no horário considerado de pico, compreendido entre 18 ? s 21 horas e por decreto presidencial a normativa deve começar no terceiro domingo de outubro e terminar no terceiro domingo de fevereiro. Segundo a CPFL Paulista, concessionária de energia elétrica, no período de horário de verão, a expectativa é economizar 77.003 MWh e daria para abastecer Ribeirão Preto por 17 dias, Sertãozinho por 92 dias, Jaboticabal por 168 dias e Batatais por 218 dias.

Por meio do aproveitamento da luz natural, obtém-se uma redução de 4 a 5% no consumo de energia elétrica, o que faz com que o país não sofra com problemas decorrentes da falta de energia. Inicia-se no verão pelo fato de a estação ser a mais quente e a que mais provoca o aumento do consumo de eletricidade: refrigeração, condicionamento de ar, ventilação etc., além de apresentar os dias mais longos que as noites.

Foto: Divulgação