FMB consegue R$ 2,7 milhões para a Unipex

A Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) acaba de conseguir, junto ? Reitoria, a liberação de R$ 2.700.000,00 que serão investidos na conclusão da obra de sua Unidade de Pesquisa Experimental (Unipex). Os recursos serão utilizados na fase de acabamento do prédio, na implantação do sistema de ar-condicionado e também na compra dos geradores de energia elétrica.

“Estamos muito contentes por isso. A finalização do prédio se faz urgente. Temos pesquisadores que captaram recursos em órgãos de fomento e, desta forma, aumentam o parque de equipamentos da Unipex. Esse material pode alavancar nossa pesquisa e não há como instalar por falta de espaço”, observa a diretora da FMB, professora Silvana Artioli Schellini.

{n}Histórico{/n}

Em 2007, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp submeteu um projeto idealizado pela professora Célia Nogueira e coordenado pelo professor emérito Antonio Carlos Cicogna no Edital Finep, visando a construção de um prédio destinado a pesquisa Experimental e Translacional. A proposta mostrava ? Finep uma ligação com o projeto que havia sido apoiado por aquele mesmo órgão em anos anteriores: a Unidade de Pesquisa Clínica (Upeclin) da FMB.

Naquela época foi aprovado pela Finep a liberação de R$1.500.000,00. Professor Herman Jacobus Cornelis Voorwald, então Reitor da Unesp, visitou a FMB e lhe foi solicitada uma complementação da verba para ampliar as dependências que foram idealizadas para cinco andares. Prof. Herman destinou mais R$3.000.000,00 e a Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp) repassou recursos da ordem aproximada de R$1.500.000,00. Com esses investimentos foi possível iniciar a construção da Unipex, o maior prédio em área física pertencente ? FMB.

“Durante a construção, alguns pesquisadores nos visitaram para nos dizer se estávamos no caminho correto e alguns ajustes foram necessários, tanto no piso, como na parte do ar condicionado, já que o sistema deve ser diferente do que existe em salas normais. Estamos na fase de conclusão da construção deste prédio e havia ainda a necessidade de investir mais recursos. Estimou-se que seriam necessários ainda R$2.700.000,00. Buscamos junto ? Reitoria e fomos atendidos pelo professor Durigan (Júlio Cezar Durigan, reitor da Unesp), que liberou a verba necessária”, acrescenta professora Silvana.

{n}Laboratórios Multiusuários{/n}

Muitas ações estão em andamento nos laboratórios de pesquisa experimental da FMB. Com a colaboração de todos os departamentos, os blocos antigos da Unipex se estruturam para trabalhar como laboratórios multiusuários, com a possibilidade de fornecer equipamentos e técnicos para os pesquisadores.

Esse modelo é adotado em todas as boas universidades estrangeiras e em muitas instituições de pesquisa brasileiras. O conceito de laboratórios multiusuários e core facilities permite que não exista necessidade de duplicar equipamentos ou servidores que atuem em tarefas semelhantes.

“Cabe ainda lembrar que não se faz pesquisa apenas com prédios. Por este motivo, a estruturação da equipe que atua na Unipex está sendo revitalizada par e passo com a construção do prédio e com as adequações dos prédios antigos. Investimos, em 2012 e mais fortemente em 2013, na atualização dos servidores. Estamos formando equipes por especificidade de área de atuação, com o intuito de fornecer ao pesquisador a oportunidade de ter a sua disposição as técnicas necessárias para a sua pesquisa”, destaca a diretora da FMB.

Com o objetivo de melhorar a infraestrutura de apoio para treinamentos de graduandos, residentes e pós-graduandos, está sendo licitada a reforma do Bloco II dos laboratórios experimentais. “Desta forma, considero que a nossa comunidade pode sonhar com infraestrutura de recursos humanos e materiais que fortalecerão as oportunidades de pesquisa da FMB”, conclui professora Silvana.

{n}A Unipex{/n}

O prédio da Unipex, onde estarão situados os laboratórios experimentais, abrigará também anfiteatro, salas para pesquisadores, arquivos, secretaria e laboratórios. No primeiro andar estará secretaria, anfiteatro, salas de arquivos para materiais biológicos e salas de reuniões. O segundo será destinado a salas para análises diversas. No terceiro pavimento serão executadas atividades na área de biologia molecular e cultura de células.

Já nos dois andares superiores ocorrerão pesquisas pré-clínicas e haverá laboratórios individualizados.

Fonte:
Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB/Unesp