FCA de Botucatu busca convênio com o Instituto da Amazônia

Em dezembro de 2012, os professores da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu, Edson Luiz Furtado, Elias Taylor Durgante Severo e Iraê Amaral Guerrini, juntamente com Mario Luiz Teixeira de Moraes, da Unesp de Ilha Solteira e também docente credenciado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal da FCA, visitaram o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA).

Além de conhecer as instalações e visitar experimentos, os professores da Unesp participaram de reuniões com o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências de Florestas Tropicais do INPA, José Francisco de Carvalho Gonçalves e com o vice-coordenador Niro Higuchi, discutindo a possibilidade de efetivar uma parceria para o intercâmbio de alunos e docentes.

“Seria uma ótima oportunidade para os alunos da FCA conhecerem a Amazônia e para os alunos do INPA conhecerem os biomas cerrado (Ilha Solteira), Mata Atlântica (Botucatu) e também toda a cadeia produtiva da área florestal”, explica o professor Guerrini, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal da FCA. “Essa aproximação é importante porque mostra que as instituições não estão presas aos seus nichos regionais”.

A Unesp já mantém um acordo de cooperação com o INPA. Mas o objetivo dos docentes da FCA é desenvolver e formalizar um plano de trabalho para uma parceria específica entre os cursos de pós-graduação. Alguns projetos em conjunto já estão em andamento, envolvendo temas como: doenças de espécies florestais nativas, nutrição e adubação, fisiologia e bioquímica, melhoramento genético. “Nesse encontro já surgiram ideias para novos trabalhos em conjunto em projetos específicos com seringueira, coordenados pelos professores Elias Taylor Severo e Mario Teixeira de Moraes”, conta o professor Guerrini.

Embora o convênio seja voltado para a pós-graduação, a aproximação institucional pode render bons frutos também para a graduação. Um exemplo disso é a possibilidade de ampliação da participação dos alunos da FCA em um curso de 30 dias sobre Manejo Florestal na Amazônia, oferecido pelo professor Niro Higuchi, tradicionalmente no mês de julho.

“É um curso diferenciado, muito elogiado por quem já fez. Vamos procurar aumentar a participação dos nossos estudantes para que eles conheçam melhor uma região do nosso país que é importantíssima para o mundo e sobre a qual temos pouco conhecimento”, aponta Higuchi, lembrando que a expectativa é que os representantes do INPA visitem a FCA em breve e que a colaboração esteja formalizada já nos primeiros meses de 2013.

{n}Sobre o INPA{/n}

Criado em 1952 e implementado em 1954 – o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) – ao longo dos anos, vem realizando estudos científicos do meio físico e das condições de vida da região amazônica para promover o bem-estar humano e o desenvolvimento sócio-econômico regional. Atualmente, o INPA é referência mundial em Biologia Tropical.

Os primeiros anos do INPA foram caracterizados pela exploração da área por meio de pesquisas, levantamentos e inventários de fauna e de flora. Hoje, o desafio é expandir de forma sustentável o uso dos recursos naturais da Amazônia.

Para cumprir o desafio, o Instituto possui doze Coordenações de Pesquisas: Botânica; Biologia Aquática; Ecologia; Aquacultura; Tecnologia de Alimentos; Silvicultura Tropical; Ciências da Saúde; Produtos Florestais; Produtos Naturais; Entomologia; Ciências Agronômicas; Clima e Recursos Hídricos e um Núcleo de Pesquisas em Ciências Humanas e Sociais, o qual foi criado para trabalhar com as populações tradicionais da região. O INPA possui três núcleos de pesquisas localizados nos Estados do Acre, Roraima e Rondônia.

Fonte: Assessoria de imprensa
Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp – câmpus de Botucatu/SP
Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais – Fepaf