Estado inicia primeiros serviços do Programa Nascentes, em Botucatu   

INICIO DAS OBRAS DO PROGRAMA NASCENTES - FOTO IGOR MEDEIROS (2) (Custom)Botucatu recebeu na manhã desta terça-feira (6) a visita do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim. Ao lado do prefeito João Cury Neto e deputado estadual Fernando Cury, ele esteve no Clube Kaikan [Colônia Santa Marina] para ver de perto a campanha de coleta de embalagens de agrotóxicos realizada no Município. Na sequência, acompanhou os primeiros serviços do Programa Nascentes.

No primeiro compromisso, o secretário tomou ciência do trabalho de destinação correta das embalagens vazias de agrotóxicos e que são encaminhadas à Associação dos Distribuidores de Insumos Agrícolas do Estado de São Paulo (Adiaesp), em São Manuel, onde fica a Central de Recebimento de Embalagens. Desde 2009, esta campanha já recolheu em Botucatu mais de 8 mil embalagens de agrotóxicos.

CAMPANHA DE EMBALAGENS AGROTOXICOS E  SECRETÁRIO DE AGRICULTURA ARNALDO JARDIM - FOTO IGOR MEDEIROS (31) (Custom)Já na Estância Santa Marta, máquinas a serviço da Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Codasp) realizavam o terraceamento (curvas de nível) de uma grande extensão da propriedade rural, que fica às margens do Rio Pardo, principal fonte de abastecimento de água de Botucatu e Pardinho. Nestes dois municípios, o programa prevê a conservação total de 245 hectares.

“O terraceamento nada mais é do que criar uma estrutura física que acompanha o nível do terreno. Essa barreira depois é vegetada com objetivo de segurar toda a água da chuva, aumentando a infiltração no lençol freático. Além de aumentar o abastecimento o rio, essa técnica protege a mata ciliar em chuvas mais fortes”, explica Ricardo Chiarelli, engenheiro agrônomo da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati).

INICIO DAS OBRAS DO PROGRAMA NASCENTES - FOTO IGOR MEDEIROS (27) (Custom)Em Botucatu e Pardinho, o Programa Nascentes prevê ainda: serviços de conservação de 80,32km de estradas rurais e acesso às propriedades; instalação de 104km de cercas de isolamento de Áreas de Preservação Permanente (APPs); e construção de 120 fossas sépticas biodigestoras. O investimento total é superior a R$ 5 milhões, recursos da Agência Nacional de Águas (ANA). Tudo deverá ser concluído até dezembro de 2017.

“Temos uma meta muito ambiciosa em São Paulo, que é replantar 8 milhões de árvores. Mas aqui em Botucatu e em Holambra [duas únicas cidades beneficiadas pelo programa] há outro grau de profundidade, que é cuidar das nascentes. Mas o poder público não pode fazer isso de uma forma independente. Precisa da cooperação dos proprietários rurais. Lembrando que Botucatu teve um ótimo desempenho do CAR [Cadastro Ambiental Rural] e em breve vamos iniciar o programa de regularização ambiental no Estado”, enfatiza o secretário Arnaldo Jardim.

CAMPANHA DE EMBALAGENS AGROTOXICOS E  SECRETÁRIO DE AGRICULTURA ARNALDO JARDIM - FOTO IGOR MEDEIROS (46) (Custom)Para o prefeito João Cury, o Programa Nascentes coroa toda uma política desenvolvida nos últimos anos em prol da agricultura e meio ambiente do Município, e que inclui importantes obras de saneamento antecipadas pela Sabesp, a despoluição do Rio Lavapés, a implantação do Pagamento de Serviços Ambientais (PSA) e aprovação do Código Municipal de Meio Ambiente.

“O Programa Nascentes é uma proposta definitiva de mudança de comportamento da nossa sociedade. Não só garante quantidade em abundância, como também a qualidade da água que será consumida pelas próximas gerações, daqui a 30 e 40 anos. Tudo isso, com o menor custo possível. Só temos que agradecer mais este gesto feito pelo Governo do Estado”, comenta.