Estacionamento irregular de “shopping” inacabado é lacrado

Uma operação desencadeada pelos homens da Guarda Civil Municipal (GCM), no centro da cidade na manhã desta sexta-feira, lacrou o estacionamento que funcionava no térreo do prédio, onde seria construído um Shopping Center, na Rua Amando de Barros, considerada o principal ponto de comércio do município. Esse estacionamento ocupava um amplo espaço desse prédio na Rua Moraes Barros, entre as Ruas Amando de Barros e Curuzu.

Embora esteja em funcionamento há cerca de 15 anos, Osmar Campos, que explorava o estacionamento há 15 anos não tinha alvará e explorava o comércio de maneira ilegal. Além disso, ele mantinha residência fixa no local. O secretário de Segurança Pública, delegado Adjair de Campos, revela que por várias vezes o proprietário do estacionamento foi avisado da irregularidade.

{bimg:9866:alt=interna1:bimg}

“Estamos alertando esse cidadão que explorava o estacionamento já há vários meses. Inúmeros avisos foram dados para ele tentasse regularizar a situação, mas ele não se preocupou. Então amparados por lei municipal vigente, determinamos o lacre do local. Infelizmente talvez possa perecer uma decisão dura, mas não podíamos compactuar com a ilegalidade”, explicou o secretário,

Ele também revelou que não seria justo manter o estacionamento funcionando de maneira irregular numa área nobre da cidade. Seríamos injustos com outros comerciantes do setor que trabalham dentro da legalidade. “Mesmo assim aguardamos que a situação fosse regularizada por um bom tempo, antes de tomar a decisão que tomamos. Apenas cumprimos aquilo que a lei determina”, frisou Campos.

Na verdade todo aquele imóvel vem se constituindo nos últimos anos em um grande “abacaxi” para ser descascado pelo Poder Público. O prédio inacabado, chamado de “aberração arquitetônica” ou “elefante branco”, localiza-se na área mais nobre e valorizada da cidade. Há 15 anos, o dono desse imóvel, o coreano Kim Young Shoe apresentou o projeto do shopping a alguns empresários da cidade que chegaram a fazer investimento para ocupar espaços no local. Porém, o coreano, que era visto com bastante frequencia na cidade, simplesmente, desapareceu, e a situação da principal rua da cidade permanece indefinida.

{n}Pelicano X Torra Torra{/n}

Rumores dão conta de que o prédio inacabado do shopping seria usado por uma grande loja de rede que comercializa peças de roupas, concorrente da empresa de outro grupo do ramo que adquiriu o prédio do antigo Peabiru Hotel, também na Rua Amando de Barros. Se isso for confirmando nos próximos meses, poderemos ter duas grandes lojas de redes concorrentes instaladas na Rua Amando de Barros. As lojas de rede de roupas em questão seriam o Grupo Torra Torra (que se instalaria no prédio inacabado) e o Grupo Pelicano (no antigo hotel Peabiru).

O presidente da CDL – Câmara dos Dirigentes Lojistas, Antônio Cecílio Júnior, entende que o caso do shopping inacabado já ultrapassou o limite do tolerável e alguma coisa deve ser feita com relação ? quele prédio, mas não revelou se são verídicas as informações de que a cidade poderia contar com essas duas grandes lojas de rede na Rua Amando.

{bimg:9867:alt=interna2:bimg}

“Sobre essas lojas de rede não posso falar nada, pois desconheço e apenas ouço comentários. O fato é que estive conversando com o prefeito João Cury Neto sobre o “esqueleto” daquele prédio inacabado e ele mostrou-se interessado em discutir e encontrar uma solução para o problema. Nas administrações anteriores as conversas não evoluíram. A discussão sobre aquele prédio não pode mais ser adiada”, colocou Cecílio Júnior

fotos: Valéria Cuter