Cempas da Unesp de Botucatu é cenário do Animal Planet

O canal de televisão a cabo Animal Planet, produzido pela Discovery Channel e a Mixer Produtora, que passa no Brasil e a América Latina, tem entre seus cenários o Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (Cempas), da Unesp de Botucatu, no tratamento a diferentes animais silvestres.

Este é o primeiro programa brasileiro do gênero produzido no país. Esta semana um episódio onde é feito atendimento dentário a um macaco (da espécie bugio) e em uma onça pintada foi ao ar.

Intitulada “Wild Vet” (“Doutor Selvagem” em português), a série acompanha a rotina de trabalho do médico veterinário Rodrigo Teixeira, diretor do Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros, de Sorocaba, que utilizou vários setores do Hospital Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) para a gravação do reality show.

Nos 32 episódios da série, Rodrigo vai atender casos envolvendo animais da fauna nativa e exóticos em várias regiões do estado de São Paulo. “Apresento o programa e incluo meus parceiros de atividades. O cenário não é fixo. Gravamos alguns episódios no zoológico de Sorocaba, alguns casos na capital e vários deles em Botucatu. Alguns são inteiramente gravados na FMVZ de Botucatu”, conta Rodrigo.

Na Faculdade, já aconteceram gravações no Ambulatório de Oftalmologia, na área de Diagnóstico por Imagens e no Cempas. Vários professores, alunos de graduação, pós-graduação e residentes já participaram dos episódios. “A presença de vários profissionais enriquece o programa. Nada disso é montado, mostramos o dia-a-dia do atendimento mesmo”.

A parceria do Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros com a FMVZ é consolidada. O principal exemplo é o Programa de Residência em Animais Silvestres, em que, dos sete residentes, três têm suas bolsas pagas pela Prefeitura de Sorocaba.

“Nosso programa é o maior do Brasil nessa área. É o único que reúne uma universidade pública de excelência, um zoológico que é referência no país e uma organização não-governamental especializada em adaptação e soltura de aves (Centrofauna)”, explica o professor Carlos Teixeira, coordenador do Cempas.

“Nossos residentes estão aptos a atuar em qualquer região do país, junto a quaisquer instituições. E não poderíamos deixar de colaborar com um programa de televisão protagonizado por um dos nossos parceiros, com foco na educação ambiental e na conservação da nossa fauna”, complementou o professor do Cempas.