Branquinha é prata no Prêmio Sebrae Mulher de Negócios

Medalha de Prata ou vice-campeã brasileira! Foi esta a colocação conseguida por Branca Carvalho e Silva, de 84 anos, a dona Branquinha, na fase nacional do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, ocorrido em Brasília. O resultado foi divulgado na tarde desta quinta-feira (8). A cerimônia de premiação foi realizada na sede do Sebrae, em Brasília, onde as campeãs receberam os troféus ouro, prata e bronze, no Dia Internacional da Mulher.

O prêmio, que visa reconhecer relatos de vida de mulheres empreendedoras e incentivar o empreendedorismo feminino, contou nesta edição com mais de 3,6 mil inscrições de todo o Brasil. A etapa estadual registrou 40 ganhadoras, que concorrem ? fase nacional em duas categorias: Pequenos Negócios, destinada a donas de micro e pequenas empresas, e Negócios Coletivos, reservada a integrantes de cooperativas e associações.

Botucatu, mais uma vez, marcou presença no evento e dona Branquinha, representando o município foi vencedora da fase estadual paulista na categoria Negócios Coletivos. Na terça-feira, dia 6, antes de seguir viagem ? Brasília, a empreendedora foi recebida oficialmente pelo prefeito João Cury Neto, ocasião em que apresentou o troféu conquistado pela Cooperativa Arte & Ofício e falou da importância deste reconhecimento pelo Sebrae-SP. A medalha de prata de dona Branquinha foi bastante comemorada.

“A dona Branquinha é merecedora deste prêmio. O trabalho que ela e toda a equipe da Arte & Ofício realiza com as cooperadas em Rubião Júnior é um exemplo de que basta oferecer a oportunidade e capacitar as pessoas que o resultado aparece. Estamos muito orgulhosos com a conquista do prêmio em Brasília. A prefeitura está de portas abertas para contribuir para melhorar ainda mais esse trabalho”, declarou o prefeito João Cury.

Na solenidade o Sebrae lançou a próxima edição do prêmio, a nona desde a sua criação, em 2004. A novidade é a inclusão de uma nova categoria, destinada a mulheres que são empreendedoras individuais (EI) – trabalhadoras por conta própria que faturam até R$ 60 mil por ano. Mais de 400 atividades profissionais podem se enquadrar como EI, entre elas costureiras, cabeleireiras, manicures e vendedoras de roupa.

A iniciativa é uma promoção do Sebrae em parceria com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), a Federação das Associações de Mulheres de Negócios Profissionais do Brasil (BPW) e a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).