Aos 84 anos, Dona Branquinha ganha prêmio do Sebrae

Muita coisa mudou na rotina de Branca Carvalho e Silva, a dona Branquinha, depois que foi a vencedora da fase estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios. Entrevistas para TVs, rádios, jornais e internet. Todo mundo quer conhecer a fórmula de sucesso desta paulistana de 84 anos de idade.

Nesta segunda-feira, dia 6, dona Branquinha será recebida oficialmente pelo prefeito de Botucatu, João Cury Neto. A empreendedora apresentará o troféu conquistado pela Cooperativa Arte & Ofício e falará da importância deste reconhecimento pelo Sebrae-SP.

Durante a reunião, Silvia Furio, gerente regional do Sebrae em Botucatu, comunicará Cury Neto que dona Branquinha é a representante paulista na edição nacional do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, que acontecerá em Brasília, no dia 8 de março, com a presença da presidente Dilma Rousseff.

“O Sebrae me fez descobrir, aos 84 anos, que sou uma mulher de negócios. E no nosso caso, de Negócios Coletivos, o fundamental é se preocupar com as pessoas, entender quais são as necessidades e trabalharmos para a valorização dessas pessoas”, disse emocionada.

Para Bruno Caetano, diretor-superintendente do Sebrae-SP, exemplos como o de dona Branquinha servem como incentivo para que outras mulheres busquem seu lado empreendedor.

“O prêmio tem uma importância muito grande, que é estimular e promover a igualdade no mercado de trabalho. No mundo do empreendedorismo, praticamente metade dos negócios é administrada por mulheres e é uma tendência que este número aumente. Para o Sebrae é uma satisfação reconhecer essas mulheres que ousaram dar um passo rumo ao empreendedorismo”, avalia Caetano.

O prêmio

O número de mulheres empreendedoras que relataram suas histórias profissionais de sucesso e se inscreveram na 8ª edição do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios chegou a 3.629. Esse resultado é um recorde desde 2004, quando teve início a premiação realizada pelo Sebrae, Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM), Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais do Brasil (BPW Brasil) e Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

O índice alcançado demonstra um crescente aumento do interesse das empresárias de todo o Brasil em compartilhar sua trajetória e submeter seu negócio a uma avaliação criteriosa de acordo com o Modelo de Excelência da Gestão (MEG), disseminado pela FNQ. Entre os dez Estados no ranking com maior número de inscrições, São Paulo ocupa a primeira posição, com 517 empresárias concorrendo ao prêmio.

Voltado a empreendedoras brasileiras cujos negócios têm faturamento anual de até R$ 2,4 milhões, o reconhecimento tem como objetivo identificar, selecionar e premiar os relatos de vida de empresárias, que transformaram seus sonhos em realidade e são exemplos para outras mulheres que também anseiam ter sucesso profissional.

“Para escolher as melhores histórias, o processo de avaliação usa como base os fundamentos de excelência do Modelo de Excelência da Gestão da FNQ. Com isso, buscamos assegurar que as empresas dessas mulheres adotem princípios de gestão, que é o que garante a sustentabilidade do negócio”, explica o coordenador técnico do prêmio na FNQ, Francisco Teixeira.