Definida a 4ª etapa do Circuito Pró-Cuesta de Trekking

Acontece no próximo dia 19 de setembro (domingo) a 4ª etapa do Circuito Pró-Cuesta de Trekking de Botucatu, prova em parceria com a Federação Paulista da modalidade (Fepep). O local escolhido é a propriedade de ecoturismo conhecida como “Cantina da Figueira”, na estrada Botucatu-Pardinho, acesso pela Marechal Rondon, que conta com boa infra-estrutura, para que os competidores também levem a família e passem um dia diferente.

Serão 10 quilômetros de percurso, onde os participantes terão contato com uma trilha diferenciada passando por vários córregos. “Trata-se de um lugar com bastante trilha e por conta do tempo seco usaremos bastante rio. Esse é um local, que por ser voltado ao ecoturismo, tem a ver com a proposta do trekking. É um lugar para a família passar o dia”, cita o organizador do circuito Pró-Cuesta, Fernando Arena, prevendo que equipes de todo o Estado participem. Ele já tem confirmada presença de cidades como Jaú, Avaré, São Paulo, Campinas, Bauru, Curitiba, entre outras.

O trekking é uma atividade de aventura, também chamado de enduro a pé, unindo esporte e natureza. A equipe mais regular vence a prova. O 1º check-in da prova será feito na Unifac, a partir das 20 horas de sábado (18), juntamente com o curso de navegação para iniciantes. As camisetas serão entregues somente no 2º check-in, que será no local da prova.

Para chegar é preciso que os participantes sigam pela rodovia Marechal Rondon sentido Botucatu – Conchas, entrar ? direita no trevo de acesso a Pardinho. Em frente ao posto Pontal da Serra, entrar na rodovia sentido Pardinho, seguir por 6 kms, entrar ? esquerda em uma estrada de terra e seguir sempre beirando um canavial existente no local. No trajeto existirão placas indicativas. Ao chegar na “Serra dos Prado” é preciso ter cuidado com a descida bastante íngreme e escorregadia.

{n}Atleta com deficiência visual vai participar {/n}

Carlos Trigo, 43 anos, vereador em Botucatu, vai participar da 4ª etapa do Circuito Pró-Cuesta de Trekking. Será a primeira vez que um portador de deficiência visual participa de uma prova do gênero. “Gosto de esporte e de desafios”, disse Trigo, que também pratica atletismo nas provas de 100 e 1.500 metros.

O vereador ainda anda de bicicleta em espaços fechados. “Minha intenção com esses desafios é mostrar não só para as pessoas que não enxergam que elas podem fazer mais, mas também para as demais que ficam trancadas dentro de casa, que é possível participar de várias atividades”, comenta.

Ele frisa que o deficiente visual precisa exercitar sua independência. “O mínimo que ele deve fazer é andar com bengala. Essas atividades que pratico também me ajudam em palestras motivacionais. Também estou montando uma equipe de futsal adaptado para pessoas que já têm certa noção desse esporte”, conta.