Senac Botucatu exibe filme O Começo da Vida e promove cinedebates

Senac São Paulo exibirá em sua rede de unidades O Começo da Vida, novo documentário da diretora Estela Renner (Criança, a Alma do Negócio e Muito Além do Peso), que acaba de ser lançado e está sendo apresentado em diversos países pelo mundo.

A instituição participa dessa iniciativa ampliando a exibição e discussão da primeiríssima infância com a realização de cinedebates. A atividade é aberta ao público e todos estão convidados a conferir as sessões, que são gratuitas e ocorrem de 30 de maio a 11 de junho.

Em Botucatu, o filme será transmitido nesta quarta-feira, 1º de junho, às 9 e 14 horas. As exibições do documentário no auditório das unidades serão seguidas de um bate-papo sobre a importância dos primeiros anos de vida na formação de cada pessoa. A atividade – filme e debate – tem duração de cerca de 1 hora e 40 minutos.

“Com isso, contribuímos para ampliar a mensagem sobre a relevância dos primeiros anos de vida na formação de cada pessoa, reafirmamos nosso papel na promoção de ações educacionais para a proteção da infância e da adolescência e estimulamos, ainda, iniciativas para a construção de cenários sociais mais justos e solidários”, diz Regina Paulinelli, coordenadora de desenvolvimento da área de educação no Senac São Paulo.

O objetivo do Senac, ao propor o diálogo com os participantes, é estimular a reflexão sobre o papel dos pais, mães e responsáveis na educação dos filhos e filhas, apresentar a maternidade e a paternidade como escolha de homens e mulheres e não como missão atribuída, reconhecendo a dimensão e os significados dos papéis materno e paterno na vida pessoal e familiar. Além disso, a instituição pretende tratar o compromisso e a responsabilidade em promover espaços criativos e protegidos aos membros da família a partir da construção de relações fraternas e saudáveis.

O Senac Botucatu fica na rua Dr. Rafael Sampaio, 85 – Boa Vista. Outras informações pelo telefone (14) 3112-1150 ou no Portal Senac www.sp.senac.br/botucatu. 

O filme – Com duração de aproximadamente 90 minutos, a obra apresenta a importância de valorizar e cuidar da chamada primeiríssima infância, período de 0 a 3 anos. Para chegar ao resultado final, foram captadas mais de 400 horas de imagens em todo o mundo.

A diretora entrevista especialistas e visita famílias das mais diversas culturas e classes sociais em países como Argentina, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, França, Índia, Itália e Quênia. Experiências como a de Gisele Bündchen e de Phula – uma menina indiana que cuida sozinha dos irmãos em uma comunidade em meio a construções – mostram como os cuidados e as relações da infância são fundamentais para o desenvolvimento do indivíduo e têm impacto em todos os anos posteriores.

Dublada em seis idiomas e legendada em 21, a obra é uma produção da Maria Farinha Filmes, apresentada pelas instituições: Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal (FMCSV), especialista em primeira infância e parceira do Senac desde 2015; Fundação Bernard Van Leer, que fomenta oportunidades a crianças em situação de vulnerabilidade social; Instituto Alana, cuja missão é “honrar a criança”; e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).  “Queremos criar um movimento em prol da primeira infância, período que vai da gestação aos 6 anos, pois a ciência nos traz evidências de que o pleno desenvolvimento no começo da vida é essencial para a construção de uma sociedade mais justa”, diz Eduardo C. Queiroz, diretor-presidente da FMCSV.

Serviço

Cinedebate: O Começo da Vida

Data: quarta-feira, 1º de junho

Horário: às 9 e 14 horas

Gratuito