Pesquisadores de Taiwan visitam FCA/Unesp

A Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu, recebeu a visita de uma delegação de oito professores de universidades e membros instituições de pesquisa de Taiwan.

Acompanhados pelo empresário Jiro Nishimura, presidente da Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia, de Tsen Chung Kang, da Máquinas Agrícolas Jacto, e por Hannes Fischer, da Fatec de Pompéia, os visitantes foram recebidos pelos professores João Carlos Cury Saad e Carlos Frederico Wilcken, diretor e vice-diretor da FCA.

Além de discutir convênios e possíveis projetos conjuntos, o grupo visitou áreas do Núcleo de Ensaios de Máquinas e Pneus Agroflorestais (Nempa); experimentos com fruticultura tropical, do Departamento de Horticultura; experimentos com culturas bioenergéticas e leguminosas, do Departamento de Produção e Melhoramento Vegetal; experimentos com monitoramento e controle de pragas agrícolas e florestais, do Departamento de Proteção Vegetal.

Como parte da programação, Samson C.S. Tsou, Professor Emérito da National Ping Tung University, ministrou a palestra “A Agricultura na Era do Conhecimento – a experiência de Taiwan". Tsou é consultor oficial da presidência de Taiwan e trabalhou como assessor da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU) em vários países asiáticos. Atua no desenvolvimento de políticas para a agricultura, como segurança alimentar e incremento nutricional de alimentos.

A vista dos taiwaneses faz parte de uma iniciativa da Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia, que reuniu uma missão de pesquisadores brasileiros para uma visita técnica a Taiwan, em março de 2014, com foco nas novas tecnologias para a agricultura.

Os professores Carlos Frederico Wilcken e Saulo Philipe Sebastião Guerra representaram a FCA, ao lado de pesquisadores da Esalq, Embrapa, Instituto Agronômico de Campinas e Fatec de Pompéia. “O objetivo principal era prospectar projetos e soluções utilizadas na agricultura de Taiwan que pudessem também ser adotados pelo Brasil. A partir de agora, vamos discutir a possibilidade de convênios, pesquisas em conjunto e intercâmbio de estudantes”, explica o professor Wilcken. “É uma primeira tentativa. Trouxemos uma equipe muito boa de Taiwan para conhecer o que existe aqui no Brasil. Quem sabe possa sair algum bom resultado desse contato”, complementa Jiro Nishimura.

 

Da Assessoria de Imprensa