Museu do Café recebe documento histórico

Pelo projeto “Da Minha Casa para o Nosso Museu” recentemente o Museu recebeu a doação de um documento histórico. O nosso parceiro José Luiz Amat (Amatssa Restaurante), entregou ao Coordenador do Museu, um ofício datado de 1935, do Sr Prefeito Municipal, Carlos Cesar, convidando o avô do doador, Sr. Joaquim Amat, que era membro do “Conselho Consultivo Municipal” para a solenidade de lançamento da pedra fundamental do prédio da “Estação Experimental Central do Café”, localizado na Fazenda Lageado. No documento o Prefeito informava que o evento contaria com a presença do Sr. Ministro da Agricultura, Dr. Odilon Braga. Além disso, o convite incluía um “banquete” que seria oferecido àquela autoridade no “Hotel Paulista”. São ações como essas que enriquecem o acervo do nosso Museu e resgatam a história da cidade de Botucatu, afinal o documento tem quase 80 anos.  O Museu agradece ao doador, e o documento já está exposto para apreciação dos nossos visitantes.

Novos parceiros

Em continuação a renovação dos apoios de parceiros, mais dois estabelecimentos de Botucatu vieram se juntar ao grupo de “Empresas Amigas da Fazenda Lageado”. O “Celeiro Restaurante”, tradicional estabelecimento localizado na Estância Demétria, e o “Restaurante Wassabi” de comida japonesa são os nossos novos parceiros. O Coordenador do Núcleo agradece a todas as empresas que enxergaram a importância de apoiar um projeto que é reconhecidamente um dos mais importantes projetos que preserva a história, divulga a cultura e incentiva o turismo.

Números

No mês de abril o Museu recebeu 2.284 visitantes. Importante salientar que, por sugestão da equipe de monitores nos feriados do aniversário da cidade (14 de abril) e Tiradentes (21 de abril) o Museu abriu as 8 da manhã e fechou as 17 horas. Se somarmos os números já registrados desde janeiro de 2006 atingimos a marca de 189.430 visitantes. Com certeza, conforme havíamos previsto, no mês de maio o museu deve atingir a marca de 190 mil visitantes. Como tem acontecido nessas marcas o visitante que for registrado como o 190 mil irá receber alguns brindes do Museu.

Troca de monitores

Desde o último dia 7 de abril a monitora Stefanny se desligou do Museu do Café. A monitora Stefanny havia entrado em janeiro e era cedida pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer da Prefeitura Municipal. A Coordenadoria, junto com a Prefeitura já estão providenciando a reposição.

Trator

Por meio do projeto “Museu do Café Restaurando a História”, em 2012 o Museu encaminhou para a cidade de Castro, no Paraná, um trator agrícola marca Fordson Major fabricado em 1957 e que, até então, era utilizado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia e ao ser desativado foi doado para a FCA, mais especificamente para o acervo do Museu. A intenção era a execução de serviços de restauro estético do referido trator, a exemplo do restauro de vários outros objetos (bomba de combustível, trator de esteira, cafeteira). Os serviços seriam custeados pela CNH New Holland. Ocorre que, por problemas relacionados ao mercado de tratores e equipamentos agrícolas a empresa não conseguiu apoiar esse importante projeto. Diante dessa situação o Coordenador manteve contato com o Sr. Ismael Oliveira – Gerente Departamento de Vendas NH da empresa Marka Veículos da cidade de Jaú, objetivando encontrar uma solução para o restauro do equipamento. Felizmente o Sr. Ismael entendeu a situação e, dessa forma, no último dia 19, o trator foi retirado da oficina do Sr. Luiz Rodolfo Schimidt em Castro e levado para a empresa Marka Veículos na cidade de Jaú. A expectativa é que, com o apoio da Marka Veículos o trator volte para o Museu, restaurado, recuperando assim a própria história da empresa. O Coordenador agradece os Srs. Carlos D’Arce da CNH – New Holland, e Luiz Rodolfo pelo esforço empreendido. Agradecimento especial ao Sr. Ismael e a Marka Veículos pelo apoio e colaboração.

 

Funcionamento do Museu

 

Agora é definitivo. De acordo com proposta dos monitores e apurados os números de visitantes nos feriados, que o Museu abriu das 8 às 17 horas, a partir de agora o Museu do Café alterou seu horário de funcionamento, incluindo os feriados no padrão da semana. O funcionamento será das 8 às 17 horas e não mais das 12 às 18 horas como vinha ocorrendo. Assim, durante a semana e nos feriados o horário de funcionamento será sempre das 8 às 17 horas. Nos sábados e domingos e funcionamento continua sendo das 12 às 18 horas.