Museu do Café enriquece seu acervo com doações

O projeto “Da Minha Casa para o Nosso Museu” continua enriquecendo o acervo do Museu do Café. O professor Wagner Lavezzo, docente aposentado da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), procurou o museu disposto a doar um jogo de jantar de porcelana inglesa. Os objetos pertenciam ao casal Gino e Oliviema Galli, já falecidos.

O coordenador do Núcleo, José Eduardo Candeias avaliou os objetos e entendeu que os mesmos poderiam ser doados para serem incorporados ao acervo. Agora, após a confecção do expositor em madeira, revestido de tecido e coberto por uma proteção de vidro, um conjunto composto por 67 peças já está exposto ? visitação. As peças foram confeccionadas pela empresa inglesa “W.H. Grindley & Cº Ltda.” e remontam os anos de 1920.

As peças são brancas e ornadas com traço na cor azul nas bordas, delimitado por traços dourados e internamente ramos de rosas, seguindo o estilo padrão da marca. “Importante salientar que os objetos para serem doados precisam preencher dois requisitos: estarem ligados ao café seja na parte de produção (lavoura), processamento (beneficiamento) ou classificação (bebida), ou então que possam ser expostos dentro do contexto do tempo que o Museu procura proteger, compreendendo o final do século XIX até por volta dos anos 60”, explica Candeias. “Graças ao gesto do professor Wagner nossos visitantes poderão apreciar um belo conjunto remanescente de uma época importante da história”, emenda o coordenador.

Candeias enfatiza que também recebeu correspondência do presidente da Fundação Bienal de São Paulo, Luis Terepins, encaminhando materiais de divulgação da mostra “30 X bienal – Transformações na Arte Brasileira da 1ª a 30ª Bienal”, compostos de um exemplar do catálogo e um exemplar do material educativo. O material recebido apresenta componentes importantes das trinta edições da Bienal e ficará junto ao Museu do Café para eventuais consulta.

O coordenador salienta que o número de visitantes do Museu continua crescendo a cada novo mês e em março foi visitado por 2.246 pessoas. Se forem somados os números referentes ao primeiro trimestre do ano, chega-se ? marca de 5.965 visitantes. Por outro lado, acrescentando esse número ao total referente ao período de janeiro de 2006 a março de 2014, a marca indica para um total de exatos 133.918 visitantes. A título de comparação, no mesmo período de 2013 o Museu recebeu 3.496 visitantes, o que corresponde a 2.469 visitantes a mais em 2014.

“É importante salientar sempre que esses números se justificam pelos esforços que vem sendo desenvolvidos desde 2006, início do projeto, junto aos órgãos de imprensa local e regional (rádio, jornal, revista, televisão, mídia eletrônica) e também graças aos nossos visitantes que auxiliam divulgando e trazendo novos visitantes. É comum encontrarmos pessoas retornando ao museu com bastante freqüência seja para acompanhar um parente ou para conhecer novos objetos que, rotineiramente, são incorporados ao acervo e expostos ao público. Por isso, agradecemos ao apoio de todos os parceiros e do público, razão maior de todo trabalho desenvolvido”, finaliza Candeias.