Municipal recebe a peça teatral “Escola de Mulheres”

Neste sábado (26), ? s 20 horas, o Teatro Municipal “Camilo Fernandes Dinucci” estará apresentando o espetáculo teatral “Escola de Mulheres” comédia escrita pelo dramaturgo francês Molière, em 1662.

No elenco nomes conhecidos da televisão brasileira como: Oscar Magrini (Falconi, da Novela “Paraíso”, da Globo) Thaís Pacholek (participou das Novelas “Amigas e Rivais”, “Revelação” e “Vende-se Um Véu de Noiva”, todas do SBT, além de ser jurada fixa do ‘Jogo dos Pontinhos’, quadro do “Programa Silvio Santos”) e Julio Rocha (Edgar da novela Caras e Bocas). Completam o elenco, os atores: Gerardo Franco, Cris Bonna e Flávio Faustinoni.

A montagem é dirigida por Roberto Lage e em Botucatu a peça é produzida por Wagner Ferreira, da Ferreira Eventos Culturais, com patrocínio da Trevo Shopping da Construção e Unimed Botucatu. A classificação é livre e o ingresso pode ser adquirido na bilheteria do teatro no horário comercial ao preço de R$ 50,00 (inteira), R$ 25,00 (meia) e R$ 30,00 (cartão Unimed e cartão Porto Seguro).

{n}Sinopse{/n}

L’École des Femmes, do dramaturgo francês Molière, a peça ao mesmo tempo em que promove muita diversão ao público, estimula reflexões sobre individualismo, poder, moral, amizade, confiança e relacionamento amoroso, entre outros sentimentos humanos. Para o diretor, o texto, escrito há quase 350 anos, faz parte do mundo contemporâneo.

E quem quer “se dar bem” na história a qualquer custo, sem se importar com ninguém é Arnolfo (Oscar Magrini). O personagem tem pouco mais de 40 anos e o seu maior medo é ser enganado por uma suposta esposa. Por isso, ao longo dos anos, preferiu não se casar, para não sofrer a dor insuportável da traição, ele “adotou” a menina Inês (Thais Pacholek), que na época tinha quatro anos.

Ele a internou em um convento, para que a garota aprendesse a ler e a escrever, porém que mantivesse a ingenuidade infantil e ficasse, assim, completamente desprovida das atitudes e malícias da sociedade. Mas, seus planos correm riscos de serem abortados, pois Inês, já com 18 anos, justamente em função de sua bondade e ingenuidade se apaixona pelo jovem Horácio (Cláudio Andrade), filho de seu amigo Oronte, interpretado por Júlio Rocha. A história conta também com os hilários criados Alain (Gerardo Franco) e Georgette (Patrícia Vilela), os quais completam essa mimese teatral.

O produtor Wagner Ferreira ressalta que apesar de o texto estimular reflexões sérias, a encenação provoca em muitos espectadores um riso desenfreado. “É uma comédia inteligente, com grande qualidade dramatúrgica, personagens muito bem definidos, tanto no que concerne aos elementos arquetípicos quanto aos de ação, além de ainda contar com a excelente tradução de Millôr Fernandes”, frisa Ferreira.