TUDO SOBRE A BÍBLIA – nº 23

Estamos no Ano do Senhor de Dois Mil e Onze.
E estamos adentrando em mais um findar de tarde e principio de noite abençoados; onde sento-me frente ao micro para ir tecla após tecla compartilhar com o querido leitor – “TUDO SOBRE A BÍBLIA”.
Após um Dois Mil e Dez repleto de bençãos e vitórias estamos prosseguindo na jornada teológica e no desvendar dos mistérios bíblicos e suas realidades presentes em nosso dia a dia.
Os gênios mitológicos, desde a criação de nosso mundo, estão presentes e atuantes e passam uma errante mensagem de que o mundo espiritual não existe; ou se existe, não é como Deus criou e sim como eles dizem.
Os gênios como assim são chamados e conhecidos nas fábulas e lendas Árabes, são na realidade os demônios descritos nos registros religiosos da idade média.
Com toda a discordância protestante da idade média empreendida pelos reformadores apenas acirrou os combates no mundo espiritual; sendo que as criaturas espirituais, tanto boas como más, continuaram a existir e permanecem em guerra.
A criação divina pela Luz de Deus que habita o terceiro céu criou o universo tanto material como espiritual.
A descrição criativa de Deus a partir do nada; pelo poder de sua Palavra é percebida no inicio da Bíblia pela palavra hebraica BARA que significa “criar”.
Nós somos meio parecidos com Deus, pois, transformamos as coisas – como uma folha de papel que após amassarmos vira uma bolinha de papel em nossa mão.
O Livro Apócrifo de Henoque relata a administração celeste e a rebelião da mesma; não em sua totalidade.
Na Bíblia encontramos no Livro das Revelações do Apóstolo São João conhecido como “apocalípse”, um local que fala a respeito da mesma rebelião e da vitória das forças espirituais do bem.
O mundo espiritual é real.
Mesmo que você não acredite nele; ele não deixará de existir nunca em tempo algum.
Deus no relato bíblico, criou seus Exércitos Celestes.
Estes Exércitos são como a Bíblia chama os seres espirituais criados com a finalidades de servir a Deus em seu mundo espiritual e sua morada eterna.
São duas as narrativas criativas em Gênesis.
Uma nomeando Deus – “ELOIM” e outra nomeando Deus “YAHVEH”.

Pr. Murilo Mendes Maciel
Teólogo – OTIB nº44

macielmurilo@bol.com.br