Tecnologia? Difícil!

Como é formidável a técnica…

 

Fico estupefato de ver como as coisas caminham e me sinto um idoso perto de toda tecnologia avançada que acontece em nosso derredor…

 

Por vezes me deparo com as novidades tecnológicas e me pergunto até onde vai a criatividade humana que perpassa caminhos e muralhas por entre as tecnologias avançadas que se encontram todos os dias; mas me questiono também como é que não se encontram curas para as doenças ditas incuráveis que invadem nossos corpos nos tempos modernos e nos tempos passados que vão nos destruindo… Muita tecnologia, mas pouco apreço pela vida!

 

Como não pensar no câncer, na AIDS ou nas outras maleitas como a hanseníase (chamada lepra) que assola o mundo a tantas décadas, séculos ou até milênios?

 

Deparo-me, com minha fraternidade, toda semana com estes males que destroem vidas e este questionamento me advém e me “detona” o coração perceber que nada ou muito pouco se fez e se faz para exterminar estes males de nosso cotidiano.

 

Pois é… Nada nos pode esmorecer nesta luta diária por ser feliz, mas o comodismo moderno também vem destruindo nossa vontade de lutar…

 

Nosso cansaço hoje se resume à mente e o corpo quase nada faz para acompanhar tanta modernidade… Até para conversar, por vezes, não temos tempo, pois os computadores conversam por nossos lábios.

 

É muito boa a técnica, mas melhor seria se a mesma nos levasse a sermos mais sociáveis e menos técnicos.

 

É triste ver que ainda hoje se jogam crianças nas “caçambas” como se ensinam nas telenovelas e se usa a técnica para ensinar tantas coisas, menos o valor essencial da vida que é viver!

 

Fiquei pensando numas brigas insondáveis que percebi e numas “brigas por poder” que a gente tem tão pouco tempo e perde-se no tempo quando se esquece de que a vida tem um pequeno espaço de tempo.

 

Gosto de falar do tal do tempo, pois é algo que me incomoda… Ter tempo para picuinhas e não ter tempo para o essencial que é “viver e amar, pois a vida vai acabar”…

 

Haja tecnologia e haja paciência para estar tanto tempo diante do computador e tão pouco tempo diante de si e do outro mesmo a pensar, refletir e meditar no que fazer para que as marcas que deixamos aqui não sejam de alguém que não teve e nem se deu tempo.

 

Fico sempre a pedir que não deixemos o tempo passar… Façamos a tecnologia estar a nosso favor; mas também a favor de nossa vida sem medo de se viver.

 

Passemos nosso mísero tempo aqui fazendo nossa vida ser o melhor jeito de viver… Coisa doida, não? Mas é verdade… Não deixemos a vida passar por nós, mas passemos por ela de cabeça erguida, mas com o cuidado de não bater num poste de ambição e desgraça… Pisemos ao chão, mas não nos esqueçamos de erguer a cada passo nossa cabeça… Senão corremos o risco desafortunado de toparmos com algo que não cheire bem ao nosso olfato de míseros “afrescalhados” na vida porque não queremos provar o novo; porém que o novo não roube a essência do velho que nos ensinar a inovar… Entendeu? Nem eu (risos), mas o que vale é fazer como eu: tentar entender a técnica e se não entender se tenta ou finge-se entender para melhor viver…

 

Com um beijo de Jesus, com toda técnica, pelos lábios de Maria e no abraço de José, que não teve a tecnologia computadorizada, mas se tornou o grande homem da técnica da providência…

 

Eu, nada tecnológico ou lutando pra ser sem perder a essência:

 

Pe. Delair, fmdp