Rotina

Creio que todos buscamos ser felizes…

Buscamos a felicidade ao acordar, na roupa que iremos usar, no batom que nos enfeita e no perfume –  sensação de poder!

Buscamos ser felizes tomando o café da manhã e abrindo a porta rumo ao trabalho.

Os sapatos também precisam ser confortáveis, de preferência com salto não tão alto e não tão baixo.

Com olhar imaginário e meio incógnito buscamos a felicidade no trajeto ao nosso destino.

Buscamos ser felizes, no bom dia ao chefe ou no bom dia aos nossos e parceiros de trabalho.

Buscamos ser felizes na eficácia em que desenvolvemos nossa profissão.

Depois vem o almoço, nesse tempo tão rápido da manhã que acabou de acontecer.

E na rapidez de saciarmos nossa fome, buscamos ser felizes em novo retoque do batom, nos saltos que por alguns minutos deixamos de lado para descansarmos os pés durante a refeição

E a tarde, tudo volta…

Os afazeres, a caminhada ao trabalho trazendo o  compromisso de concluir a obrigação do dia.

 A tardinha, quando quase o sol está se pondo, a rotina se repete…

Nas gavetas – o que foi feito. Sobre a mesa – o que se está por fazer…

O esmalte da unha está meio gasto, o perfume, quase deixando de acalentar, os pés já inchados…

Vem o amargor na boca de tanto tomar café.

Surge a dor nas costas, o casaquinho já amassado, o rosto um pouco marcado e os cabelos sem o mesmo brilho matinal.

A gente busca ser feliz, todo dia, toda hora, todo instante!

E quando chega a noite, já em casa, a gente busca ser feliz no dia que acabou…

Afinal, foi um dia vivido, bom ou ruim, atarefado ou calmo, mas vivido!

E, aguarda a lua. Quem sabe ela nos faz feliz!

E a cama, se torna sua melhor amiga!

E a gente busca ser feliz, nos sonhos que logo irão acontecer na inquietante madrugada que chega sorrateira, no tempo irremediavelmente rápido e que ao amanhecer tudo volta ao normal.