Respeito…

Por vezes queremos respeito, não é?

Mas não queremos respeitar…

Queremos ser amados!

Mas não queremos amar…

Queremos que o mundo se curve a nós!

Mas não queremos nos curvar de forma alguma ou achamos pretextos para encher o contexto de textos…

Temos muitas desculpas para conquistar o que queremos e como queremos na hora que queremos, mas quando “a coisa” vira contra a gente corremos a achar subterfúgios para alicerçar nossos absurdos…

Tudo na vida é permitido numa relação mal resolvida; mas a agressão física ou ameaça dela detona qualquer pessoa… O respeito se perde e a razão também.

Seja como for… Podemos nos perder se não sabemos ceder… Um bom guerreiro sabe a hora de recuar para enfrentar bem a guerra talvez com novas armas ou com armas diferentes.

Fico aturdido ao ver pessoas se perdendo querendo vencer a qualquer custo ou não sabendo ou nem querendo saber do pensamento dos outros que, por vezes, estão certos… Pior ainda são as “Maria vai com as outras” que entram no embalo e, sem saber “pra onde foi a carruagem” querem ir à frente e até dando “xauzinho”.

Nossa amizade deve vencer qualquer coisa; mas não pode ser omissa; não pode calar-se diante da injustiça ou da opressão… Não pode “passar a mão na cabeça” por ser amigo, mas sim corrigir; porém, a pessoa corrigida tem que ser permissiva a ponto de mudar e não fazer o que se quer.

O respeito cabe em qualquer lugar; seja onde for e com quem for…

Por exemplo, (sei que muitos não vão gostar do que direi (escreverei), mas não aceito vaias a qualquer que seja o governante… Acredito que tenha o “poder” por que alguém o colocou lá… Deve-se respeito àqueles que estão sobre nós, ao menos na hierarquia, você pode não gostar da pessoa; mas ela não está no “topo” por acaso.

Creio que tenhamos que aprender o dom da convivência para que as coisas possam ser melhores, mas me parece que o ser humano cada vez mais quer distância um do outro ou se acham no direito de “detonar” um ao outro em troca daquilo que se quer…

Sempre digo que as pessoas parecem querer que o mundo “rodeie” seus umbigos… Tudo como se quer e na hora que se quer do jeito que se quer, mas nenhum esforço se faz para que as coisas melhorem… A não ser que melhorem em proveito próprio.

Intriga-me muito (isso comigo mesmo) que a gente não saiba mais ceder, não é mesmo? Mas, para uma convivência básica ou se cede ou se isola ou é isolado… Triste isso, não?

Bom, quero aprender mais e mais a ceder pra ser feliz; você quer? Então vamos à luta, mas sem frescuras e “bicos”! Voltar atrás não é vergonha pra ninguém… Recomeçar é coisa de gente vitoriosa e o contrário é de covardes e “metidos a besta”.

Com um beijo de Jesus (que nunca foi covarde), pelos lábios de Maria que sempre esteve ao Seu lado e no abraço de José o homem que mais recomeçou…

Eu…

Pe. Delair Cuerva,fmdp