O VALOR DA HUMILDADE

Um garoto passeava com o avô por uma praça da cidade.

Em determinada altura eles viram um sapateiro sendo destratado por um cliente, pelo fato de um serviço não ter ficado tão bem-feito.

O sapateiro escutou calmamente a reclamação, pediu desculpas e prometeu corrigir o erro.

Continuaram passeando e pararam para tomar café num restaurante. Na mesa ao lado, o garçom pediu a um homem que movesse um pouco a cadeira, para abrir espaço. O homem irrompeu numa torrente de reclamações e negou-se a afastar a cadeira. Vendo a cena o avô falou para o neto:

– Nunca esqueça o que viu. O sapateiro aceitou uma reclamação, enquanto este homem ao nosso lado não quis mover-se.

Os homens úteis, que fazem algo útil, não se incomodam de serem tratados como inúteis.

Mas os inúteis sempre se julgam importantes e escondem toda a sua incompetência atrás da autoridade.