Amar, amar e amar!

Como seria bom se todos tivessem esta coragem; de amar sem reservas, sem reticências.

O amor não se resume ao ato sexual, como se diz por ai que se faz amor ao ir para a cama com este ou com esta. O amor vai mais além que aqueles instantes de prazer carnal, mas sim no prazer de estar com pessoas amadas e amar fazendo-se amado.

Amar sem limites deveria ser nosso desejo.

Amar até doer como diria um texto que um dia li não sei onde e nem de quem.

O amor não se resume, mas se vive a cada instante, a cada momento.

Amar deveria ser nosso maior desejo, mas nos perdemos em amores que vão e vem.

Por exemplo, acho maravilhoso encontrar jovens que tem coragem de buscar o amor verdadeiro em cada momento e que não têm medo de fazer o amor florescer em seu pequeno viver.

O amor deveria estar em alta e não colocado como utopia.

O amor deveria estar sendo amado e não apenas buscado nos poucos instantes. Afinal de contas é o amor que ajuda o ser humano a viver melhor… E como é bom amar e ser amado, não?

Gosto de falar do amor, pois é o amor que nos fez e que nos faz buscar sermos melhores.

Creio que o amor ainda reinará… Não sei se é uma ilusão que tenho, mas acredito que será este sentimento que ajudará o ser humano a viver e de uma forma muito melhor e mais santa.

Gosto de lembrar a frase de Madre Tereza Michel, uma mulher que esteve nos primórdios de Botucatu, no começo do Asilo Pe. Euclides: “Tenho que amar, amar e amar” se der certo, devo amar, se não der, amo de novo e se não for possível, devo começar a amar tudo outra vez.

O amor para mim é a coisa mais linda, quando é vivido sem manias, sem frescuras, sem reticências, sem abusos, sem neuroses e sem os desejos humanos… Quando é vivido, ou ao menos tentado viver com afinco e muita alegria.

A busca do amor deve ser nosso ideal.

Mas um amor que ajuda o outro a amar também.

Amar…

Sempre mais amar…

Amar com o coração…

Amar com a emoção…

Amar e sempre amar, sem medo de acreditar.

Na busca deste amor de verdade.

{n}Pe. Delair Cuerva. {/n}