A verdade é que a Fórmula 1 não vive de sonhos

Não sou muito simpático quando o assunto é Felipe Massa. No meu programa de rádio (Momento Padock), nas colunas que escrevo no Jornal O Rolo e como Colunista do Acontece, já fiz severos comentários em relação ao piloto brasileiro. Às vezes fico sabendo que algumas pessoas me criticam por trás e acham que exagero.

O que faço questão de deixar claro é que acompanho Fórmula 1 seguramente mais de 30 anos e gosto tanto deste esporte, que minha visão é diferente de quem costuma assistir apenas aos domingos.

Felipe Massa é um excelente piloto. Se assim não fosse, nunca estaria conduzindo uma Ferrari. Conseguiu várias vitórias e quase foi campeão mundial naquela épica corrida que Hamilton acabou levando o caneco. Quase queimei a língua naquele ano.

Mas a Fórmula 1 não vive de sonhos e muito menos do passado. A realidade atual é outra. Felipe foi colocado ? prova ao lado de um dos maiores nomes do automobilismo atual e está provando cada corrida que não tem o mesmo nível de Alonso. Não sou eu quem está dizendo. São os números e resultados.

Desde o final da semana passada, a notícia que está correndo pelos maiores sites de automobilismo brasileiro, é a colocação que Stefano Domenicali, diretor executivo da Ferrari, fez em relação a Massa e Alonso. O Italiano só não foi mais direto, por que existe uma ética. Domenicali só faltou dizer abertamente que Alonso é muito superior a Massa. Na entrevista, disse que Massa tem 1 ano para tentar se recuperar e chegou a descrever o perfil de um possível substituto.

Segunda-feira surgiu outra notícia estranha. Alonso diz que está contente com Massa, mas gostaria de ser companheiro de Hamilton. Durante seu comentário, Alonso, é óbvio, não chegou a dizer abertamente seus pensamentos, mas deixou quase claro que tendo Hamilton no lugar de Massa, ele teria um piloto ? sua altura profissional. O colunista Fábio Seixas do site UOL, fez uma matéria focando Massa fora da Ferrari em 2013 com uma lista de possíveis substitutos.

Não adianta algumas pessoas ficarem “de bico” comigo. Eu não sou o dono da verdade e muito menos estou “gorando” Felipe. Apenas acho que tenho experiência suficiente para emitir uma opinião daquilo que estou vendo. Eu venho durante meses alertando. “Felipe Massa vai ficar fora da Ferrari logo logo se continuar pilotando assim”, “Massa está mostrando incompetência na forma de pilotagem. E por ai vai…

Infelizmente Felipe é a cara do automobilismo brasileiro atual. Um dia nós tivemos nomes importantes e vencedores como Fittipaldi, Piquet e Senna. Hoje convivemos com uma dura realidade dividida entre Rubinho e Massa. Alguns costumam defender dizendo que não se pode comparar a Fórmula 1 atual com aquela do passado, pois são duas fases completamente diferentes.

O engraçado é que a Alemanha é uma verdadeira fábrica de campeões que consegue se adaptar a qualquer circunstância. Tudo começou em 1994 com o primeiro título alemão de Schumacher. Houve maus tempos com títulos para Hill, Villeneuve e Räikkönen mas em 2000 Schumacher voltou e foi absoluto até 2004. Novamente, a Alemanha ficou fora dos títulos muitos outros anos e conheceu Alonso, Räikkönen, Hamilton e Button. Mas agora um novo nome já foi fabricado chamado Vettel.

É isso que não dá para entender. Por que a Alemanha e diversos países europeus sempre estão investindo em novos pilotos e o Brasil e os países Sul- Americanos, não. Nosso último título foi em 1991 com Ayrton Senna. Antes de Senna, o último piloto Sul-Americano a ser campeão mundial sem ser brasileiro foi Juan Manuel Fangio em 1957, pasmem os senhores.

Repito, não sou eu quem é azedo e pessimista em relação ao Brasil. São os números. Por que o governo brasileiro não separa uma verba para o automobilismo? Os circuitos do Brasil estão em petição de miséria. É ridículo ver uma Fórmula Truck, Stock Car e outras categorias nacionais, praticamente se “arrastando” para conseguir realizar seus campeonatos e se assim o fazem, é por que tem recursos próprios para isso, pois se dependessem do governo, nem campeonato teria.

Será que nossos governantes não têm orgulho da imagem de Ayrton Senna em cima do pódio honrando o nome de nosso país? Mas infelizmente isso daqui é uma praga. Só se fala em futebol, futebol, futebol, futebol, futebol, futebol… Já encheu o saco, mas se continua falando, futebol, futebol, futebol, futebol… Depois o Brasil leva uma ferrada que nem aconteceu na Sul-Americana, ai fica um bando de gente chorando pelos cantos lamentando o inexplicável.

Sou categórico em escrever e podem ter certeza disso. Felipe Massa não está a altura de Fernando Alonso e vai perder o lugar na Ferrari, já, já… Se isso acontecer, nós olhamos para trás e pensamos em quem no futuro? Bruno Senna? Lucas di Grassi?

Meu Deus! Que futuro aterrorizador!