SAMU começa a funcionar no futuro Espaço Saúde

A Saúde de Botucatu está de cara nova. Na tarde desta quarta-feira (27) a Prefeitura começou a ocupar as instalações do ARE (Ambulatório Regional de Saúde), localizadas na Avenida Santana, 323, no Centro, para instalação do Espaço Saúde. O imóvel de 2.127 metros quadrados fica em uma das regiões mais nobres da Cidade e foi cedido ao município pelo Governo do Estado, após gestões feitas pelo prefeito João Cury Neto.
Estiveram presentes na solenidade autoridades municipais, Unesp e de cidades da região que adquiriram as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): Botucatu (2), Pardinho, Anhembi e Areiópolis, que será o primeiro serviço a funcionar no Espaço Saúde.

A ocupação total das dependências aconteceu de forma gradual, já que foram necessárias algumas adaptações no prédio. Mas a Secretaria Municipal de Saúde já definiu a nova destinação que será dada ao imóvel. “No local será instalado o Espaço Saúde que abrigará uma série de serviços que terão objetivo de oferecer apoio e qualificar o atendimento na rede básica”, revela o secretário municipal de Saúde, Antonio Luiz Caldas Júnior.

Alguns desses serviços serão inovadores na região, como a Clínica do Bebê, a Clínica de Saúde Reprodutiva e Sexual e a Clínica de Diversidades Terapêuticas (acupuntura, homeopatia, etc) e a Clínica de Curativos. Também serão instalados no local as novas dependências da Farmácia Municipal, do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), o Núcleo de Apoio ? Saúde da Família (NASF) e o CAPS 1 (Saúde Mental).

“Essas e outras ações foram construídas ao longo dos últimos dois anos e vão integrar o Programa Botucatu com Mais Saúde, que vamos apresentar ? população nos próximos dias. Vamos criar uma rede de atenção ? saúde que se baseia em quatro princípios: integralidade, humanização, qualidade e acesso”, disse o prefeito João Cury. “O importante é que os recursos já foram reservados e os concursos realizados. São ações concretas que vão qualificar o atendimento primário em nosso município”, emendou o chefe do Executivo.

{n}Cecília Magaldi{/n}

Como forma de homenagear a precursora da Saúde Pública em Botucatu, a Prefeitura decidiu denominar o Espaço Saúde de “Professora Dra. Cecília Magaldi”. O projeto foi aprovado por unanimidade pelos 11 vereadores da Câmara Municipal.

Médica e ex-secretária municipal de Saúde, Dra. Cecília faleceu em 2010. Era formada pela Faculdade de Medicina da USP. Compôs o grupo de pioneiros que nos anos 60 aceitou o desafio de construir um novo pólo universitário no interior do Estado de São Paulo, a FCMBB (Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu), cujo desenvolvimento marca de maneira decisiva a história de nosso município.

Fundadora do Departamento de Saúde Pública da Faculdade de Medicina, assumiu de pronto sua vocação de servir ? população e tomou a iniciativa de criar unidades de saúde-escola na cidade; inicialmente na Fazenda Lageado e logo após na Vila dos Lavradores nascia o Centro de Saúde-Escola.

No primeiro mandato do prefeito Antonio Jamil Cury ocupou o cargo de coordenadora de Saúde lançou as bases da rede de serviços de saúde que nos anos subseqüentes multiplicou-se em nosso município. Aposentada, Dra. Cecília contribuiu decisivamente com a constituição da Ação da Cidadania de Botucatu.

{n}SAMU{/n}

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) é o principal componente da Política Nacional de Atenção ? s Urgências, criada em 2003, que tem como finalidade proteger a vida das pessoas e garantir a qualidade no atendimento no SUS (Sistema Único de Saúde).

A política tem como foco cinco ações: organizar o atendimento de urgência nos pronto-atendimentos, unidades básicas de saúde e nas equipes do Programa Saúde da Família; estruturar o atendimento pré-hospitalar móvel; reorganizar as grandes urgências e os prontos-socorros em hospitais; criar a retaguarda hospitalar para os atendidos nas urgências; e estruturar o atendimento pós-hospitalar.

O serviço realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas, contando com as Centrais de Regulação, profissionais e veículos de salvamento. Com o SAMU, tem reduzido o número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as sequelas decorrentes da falta de socorro precoce.

O serviço funciona 24 horas por dia com equipes de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas que atendem ? s urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, ginecológico-obstétrica e de saúde mental da população.

A ligação é feita ao telefone 192, sendo atendida por técnicos na Central de Regulação que identificam a emergência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador. Esse profissional faz o diagnóstico da situação e inicia o atendimento no mesmo instante, orientando o paciente, ou a pessoa que fez a chamada, sobre as primeiras ações.

Ao mesmo tempo, o médico regulador avalia qual o melhor procedimento para o paciente: orienta a pessoa a procurar um posto de saúde; designa uma ambulância de suporte básico de vida, com auxiliar de enfermagem e socorrista para o atendimento no local; ou, de acordo com a gravidade do caso, envia uma UTI móvel, com médico e enfermeiro.

Com poder de autoridade sanitária, o médico regulador comunica a urgência ou emergência aos hospitais públicos e, dessa maneira, reserva leitos para que o atendimento de urgência tenha continuidade.

Temporariamente, a Central de Regulação do SAMU funcionará nas dependências do antigo ARE (Ambulatório Regional de Especialidades), na Avenida Santana. O projeto prevê a instalação definitiva do SAMU no prédio onde já funcionou a Secretaria do Meio Ambiente, junto ? antiga administração da Fepasa.

Botucatu terá uma central microrregional que atenderá também as cidades de Anhembi, Areiópolis e Pardinho. Em Botucatu estarão ? disposição da população uma Unidade de Suporte Básico (USB) e outra Unidade de Suporte Avançada (USA). As demais cidades da região citadas contarão com pelo menos uma USB.

Em Botucatu, o SAMU contará com 53 profissionais distribuídos da seguinte maneira: médicos (14); técnicos auxiliares de regulação médica (10), motoristas socorristas (10); enfermeiros em urgência/emergência móvel (8); técnicos de enfermagem em urgência/emergência móvel (6); auxiliares de serviços gerais/lavadores de ambulância (5).

{n}Fotos: Quico Cuter / Valéria Cuter