Prefeitura trabalha para conter erosão no Condomínio Araucária

A Prefeitura de Botucatu, por meio da Secretaria Municipal de Obras, iniciou na manhã desta quinta-feira (6) os serviços de contenção da erosão encontrada próxima ao Condomínio Araucária, no Jardim Paraíso. A deformação geográfica ocorreu por conta do grande volume de água das chuvas dos últimos dias.

Uma equipe da Secretaria de Obras, em caráter emergencial, providencirá a colocação de tubulações de ferro, de aproximadamente 10 metros, e seu aterramento, que ajudarão afastar a água que possa se acumular no local e, consequentemente, evitar que a erosão aumente e possa provocar acidentes maiores.

Antes de apontar responsáveis por possíveis erros estruturais de projeto de vazão das águas do condomínio, a Prefeitura de Botucatu organizará uma reunião na próxima semana, com representantes da Caixa Econômica Federal e da Residem, empresa administradora do empreendimento, para estudar a melhor solução e definitiva para o problema concentrado próximo a uma área de preservação permanente.

O Condomínio Araucária tem um conjunto de 10 blocos de prédios habitacionais, com 16 apartamentos cada um (totalizando 160 unidades) e fica na Rua José Barbosa de Barros, nº 1486, região do Jardim Paraíso.

Os moradores se mostram alarmados com a possibilidade de novas chuvas nas próximas horas que poderá provocar um aumento da erosão que tem, aproximadamente, 10 metros de profundidade e 20 de largura, alcançou o alambrado e há cerca de oito metros do primeiro prédio no bloco 09, já iniciando a formação de um túnel abaixo do piso de concreto da calçada.

O vereador Abelardo (PV) está acompanhando o problema desde que ele foi levantado. Diz que tem conversado com moradores e eles estão apreensivos com a possibilidade dessa erosão aumentar e atingir a primeira rua do condomínio. O parlamentar revela que já tem morador, que reside no primeiro bloco do condomínio (o mais próximo dessa erosão), reclamando de refluxo de água do esgoto.

“A erosão foi formada em uma área de preservação ambiental e aumentou de maneira significativa e a Prefeitura está realizando um trabalho provisório para evitar que esta erosão aumente. Será necessário que a Caixa Econômica Federal (CEF) que financiou a obra e a empreiteira Residen que executou, tome as medidas necessárias para que os moradores deste condomínio possam ter tranquilidade”, frisou Abelardo.

Fotos: Valéria Cuter