Prefeitura aplica mais do que o previsto em Saúde e Educação

Informações passadas pela Secretaria de Comunicação revelam que quanto mais o Município arrecada, mais o Poder Público pode proporcionar investimentos ? população. Dos impostos recolhidos, no mínimo 25% devem ser destinados ? Educação, 15% para a Saúde, e com os 60% restantes o Município custeia a sua manutenção e aplica em obras diversas e contrapartidas de convênios com o Estado e a União. Mas a Prefeitura de Botucatu, na Administração João Cury Neto/Profº Caldas, tem investido mais do que a lição de casa obrigatória de todo Poder Público Municipal, provando que é possível manter uma situação financeira saudável sem deixar de investir em áreas fundamentais para melhoria da condição de vida da população.

Para a Educação, dos 14.753.000,00 previstos no Orçamento de 2010, foram aplicados R$ 18.774.000,00, ou seja, R$ 4 milhões a mais do que o mínimo de investimento, sem incluir a retenção do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). Na Saúde, outra área que oferece serviço básico ? população, ao invés de ser investido o mínimo previsto de R$ 20.784.000,00 a Prefeitura de Botucatu injetou mais R$ 5.797.000,00, totalizando R$ 26.581.000,00.

“Isso mostra que o prefeito João Cury se tornou o prefeito amigo das crianças, por isso não mede esforços quando o assunto é investir na educação. Apesar das finanças do Município estarem bem, ele não deixou de aplicar recursos, principalmente nas áreas fundamentais. Com esses investimentos foi possível criar mais vagas em creches, oferecer kits de uniformes completos a 14 mil alunos da rede municipal e novo material de ensino utilizado inclusive pela rede particular, entre outros”, destaca Narcizo Minetto Júnior, secretário municipal de Educação.

“Na saúde conseguimos arrumar a casa. A população já não sofre com a falta de médicos em unidades de saúde, problema crítico em anos anteriores. Pela Fundação UNI, pudemos abrir processos seletivos e dobrar a contratação de outros profissionais pois entendemos que, primeiramente, o serviço básico da saúde tem obrigação de atender bem as pessoas.

Aumentamos as equipes do programa Saúde da Família e a maioria dos postos passou por algum tipo de reforma ou ampliação. Além disso fizemos grandes compras de medicamentos. Agora, com nossa estrutura em ordem, será possível avançar na construção de novas unidades de saúde em cada região da Cidade. Essa preocupação com a saúde não é nenhum mérito, mas uma obrigação junto ? população”, destaca Antonio Luiz Caldas Júnior, secretário municipal da Saúde.