Prefeito discute com o comércio os enfeites de Natal

O prefeito de Botucatu, João Cury Neto, ao lado do secretário adjunto de Comércio e Serviços, Wellington Lopes, recebeu um grupo de empresários e representantes do comércio de Botucatu. A pauta da reunião tratou basicamente de dois assuntos: enfeites de Natal e fiscalização do comércio irregular de ambulantes. Em ambos, o prefeito sinalizou total apoio do Poder Público Municipal.

“Vamos consultar a Secretaria da Fazenda para ver qual será nossa participação. Mas os lojistas podem ter certeza que pelo menos o que foi feito ano passado será repetido”, afirma o prefeito. “Já sobre o comércio ilegal nas ruas estaremos em conversa com a Polícia Militar para que os profissionais em atividade delegada apoiem a fiscalização nos finais de semana. Além disso abriremos novo concurso com vagas para fiscal da Prefeitura”, completa Cury.

Outra notícia que buscou passar tranquilidade aos comerciantes foi a de que a Prefeitura, através da Subsecretaria de Comércio e Serviços, está finalizando a redação de um projeto de lei exclusivo para a regulamentação do comércio de comida de rua. “Estamos nos espelhando nas principais capitais do mundo, entre elas São Paulo, com objetivo de modernizar o serviço e garantir qualidade à população”, argumenta Lopes.

 

Revitalização

 

Mas a surpresa ficou mesmo ao final do encontro, quando o prefeito João Cury apresentou um vídeo do projeto de revitalização da Rua Amando de Barros, principal corredor comercial de Botucatu. O investimento no projeto arquitetônico foi de aproximadamente R$ 150 mil. 

Ele prevê calçadas mais largas, piso tátil e rampas de acessibilidade, totens modernos de identificação, e novo paisagismo. Também está incluída a revitalização a Praça Coronel Moura (Paratodos). O cálculo do Poder Público é que a obra custe mais de R$ 10 milhões.

“Agora está sendo encaminhado o projeto de hidráulica e elétrica. Ele não está completamente fechado até porque queremos a opinião dos lojistas porque não é uma obra fácil de ser executada. Se fosse, já teriam feito. Para viabilizá-la já para 2015 vamos analisar nosso orçamento, mas também buscar recursos de fora”, disse o prefeito.