Parque Tecnológico de Botucatu foi inaugurado

Autoridades de Botucatu com o vice-governador do Estado, Márcio França,  estiveram na inauguração do  Parque Tecnológico Botucatu, o sétimo ParqTec aberto no Estado de São Paulo. São José dos Campos, Sorocaba, Ribeirão Preto, Piracicaba, Santos e São Carlos já possuem tais empreendimentos voltados à promoção de ciência, tecnologia e inovação. No Estado de São Paulo, existem 28 iniciativas para implantação desses empreendimentos. 

O Parque Tecnológico Botucatu é vocacionado ao desenvolvimento de novos produtos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais e logística. Possui uma área total de 360 mil metros quadrados, onde abriga o Centro de Gestão Tecnológica – Fernando Bandeira de Mello Marins, edifício administrativo de 1.900 metros quadrados que conta com salas de reunião, espera e treinamento, instalações para diretoria, secretaria, administração, compras, manutenção, recepção, copa, sanitários, área de atendimento, hall, dois anfiteatros e auditório para 190 pessoas.

Também conta com uma área com 18 lotes de aproximadamente 1.500 metros quadrados, com completa infraestrutura destinados a instalação de Centros de Pesquisa e Desenvolvimento públicos e privados; outra área de 33 mil metros quadrados para a construção de um Centro Empresarial e uma Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de cerca de 5.500 metros quadrados; além de uma área para expansão de 220 mil metros quadrados.

O Governo de São Paulo investiu cerca de R$ 10 milhões no parque, sendo R$ 340 mil em estudos e R$ 9,7 milhões na construção do núcleo administrativo. Já a Prefeitura de Botucatu destinou R$ 1,4 milhão em recursos para a iniciativa. O Parque Tecnológico de Botucatu está localizado às margens da Rodovia Gastão Dal Farra, a três quilômetros da Rodovia João Hipólyto Martins (SP-209) – que liga a Rodovia Castelo Branco a Botucatu.

 

Desenvolvimento regional

A inauguração do Parque Tecnológico de Botucatu contou com a presença do vice-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, que no ato representou o Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. O evento ainda reuniu o prefeito de Botucatu, João Cury Neto; deputado estadual, Fernando Cury; vice-reitora da Unesp (Universidade Estadual Paulista), Drª Marilza Vieira Cunha Rudge; membros da Associação Parque Tecnológico Botucatu [organização social responsável pela gestão do Parque]; secretário municipal de Desenvolvimento, Edison Baptistão; secretário adjunto de Ciência e Tecnologia, Carlos Alberto Costa; entre outras autoridades importantes do Município e região.

Em seu discurso, o prefeito João Cury Neto também valorizou nomes importantes dentro do processo de viabilização do Parque Tecnológico Botucatu, entre eles os dos ex-secretários de Desenvolvimento, Ricardo Veiga; da Indústria, Paulo Urbanavicius; e de Ciência e Tecnologia, Dr. Paulo Machado; do prof. Edvaldo Domingues Velini, presidente da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, e da Fundação de Desenvolvimento da Unesp (Fundunesp); além do próprio governador do Estado, Geraldo Alckmin. Segundo ele, a união de tais atores demonstra a tradicional vocação de Botucatu na área de educação e tecnologia e quanto isso pode trazer de benefícios à população no futuro.

“O governador, ao liberar os recursos para a construção do Parque Tecnológico em Botucatu, ainda em setembro de 2009, demonstrava o quanto ele acredita no potencial do Centro Oeste Paulista, neste quadrilátero por onde passa boa parte da ciência e pesquisa produzida no estado. O que o Parque Tecnológico tem que fazer é estimular que essas teses e projetos não fiquem apenas nas prateleiras das universidades, mas que possam virar produto e melhorar a vida das pessoas como, por exemplo, esta primeira vacina contra a dengue que está sendo estudada [pelo Instituto Butantan]”, argumenta.

O vice-governador, Márcio França, justificou a ausência do governador Geraldo Alckmin, que no último dia 2 de abril perdeu seu filho caçula Thomaz Alckmin após um desastre aéreo, e parabenizou a classe política regional pela mobilização que resultou na conquista do ParqTec. Também valorizou  a importância dada pelo Governo do Estado na política adotada na área de desenvolvimento e tecnologia, e lembrou que a busca por inovação começou com Mário Covas e foi abraçada por Geraldo Alckmin. 

“Juscelino [Kubitschek], quando idealizou a criação de Brasília, acharam que era uma coisa de louco. O mesmo podemos falar da criação dos Parques Tecnológicos, sustentada pelo governador Geraldo Alckmin. Os parques são espaços de atração do pensamento humano e, consequentemente, empresas. E muita gente não se lembra que tudo isso é fruto da própria contribuição do povo paulista, que faz do Estado de São Paulo o mais bem estruturado na parte de logística e tecnologia do País. Queremos ser o trem bala do resto desta locomotiva e tenho certeza que os parques tecnológicos, como os de Botucatu, contribuirão para esse desenvolvimento à nível nacional”, afirma.

Botucatu possui um forte potencial na área de ciência e pesquisa biológica, com a presença de cinco unidades da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp), além de uma Escola Técnica Estadual (Etec) e uma Faculdade de Tecnologia (Fatec) do Centro Paula Souza e outras universidades. Para trabalhar em parceria com o novo empreendimento, a iniciativa privada da região dispõe de uma liderança tecnológica expressiva em seus segmentos de atuação, com a concentração de micro, pequenas, médias e grandes empresas, como Embraer-Neiva, Eucatex, Duratex, Caio Induscar e Grupo Centroflora.

 

Homenagem

Também foi organizada uma justa homenagem a Fernando Bandeira de Mello Marins, empresário que nasceu em São Paulo, mas construiu toda sua vida em Botucatu, e que agora dá nome ao Centro de Gestão Tecnológica do Parque Tecnológico Botucatu. Além da placa que conta um pouco da história de Marins, um busto com a imagem dele foi instalada no saguão de entrada do núcleo administrativo. Fernando Marins criou a Bom Sinal, única empresa 100% brasileira a fabricar trens de passageiros no Brasil. Faleceu no dia 20 de julho de 2010.

“A vida do nosso pai sempre foi marcada por desafios e inovação, tornando-o um grande empreendedor, construindo produtos tecnológicos como é o caso dos VLTs [Veículos Leves sobre Trilhos], compatíveis com a maioria das vias férreas já existentes. Esperamos que este parque tecnológico seja marcado por estes mesmos princípios, incentivando o desenvolvimento de novas tecnologias”, discursou uma de suas quatro filhas, Carolina.

“O Fernando [Marins] enxergava além da curva. Era um visionário, que acreditava e ajudou a transformar Botucatu. Hoje a Bom Sinal, empresa genuinamente botucatuense, já chega até nos rincões deste País, como no interior do Ceará, onde o VLT já contribui para o sistema de  transporte público. Dar o nome do Fernando a este Centro de Gestão no Parque Tecnológico de Botucatu é um gesto simples, mas que entendemos ser de grande importância e justiça a este grande homem”, comentou o prefeito João Cury.

 

Concessão de áreas

As empresas interessadas em se instalar no Parque Tecnológico devem entrar no site www.parquetecnologicobotucatu.org.br, onde há detalhes dos dois Chamamentos Públicos voltados à seleção de projetos interessadas à permissão e concessão de áreas do empreendimento. 

Até o momento, 16 empresas já assinaram um protocolo de intenções com interesse formal de se estabelecerem no Parque Tecnológico Botucatu. Mais informações pelos telefones (14) 3813-4659 (Parque Tecnológico), (14) 3811-1424 (Subsecretaria de Ciência e Tecnologia) ou e-mail contato@parquetecnologicobotucatu.org.br.