Nova tarifa dos ônibus começa vigorar nos próximos dias

A nova tarifa de R$ 2,65 para as empresas Stadtbus e Sant´Anna concessionárias que exploram o transporte público urbano em Botucatu começa a vigorar nos próximos dias. A informação veio da Secretaria de Mobilidade Urbana e a negociação para o reajuste da tarifa de R$ 2,35, foi acertada em novembro do ano passado. A resolução deverá ser publicada no Semanário Oficial do Município, 72 horas antes do reajuste entrar em vigor.

O acordo para o aumento de tarifa foi feito após um consenso entre representantes do Conselho Municipal do Transporte Coletivo (CMTC), diretores das empresas concessionárias Stadtbus e Sant´Anna e Prefeitura Municipal. Na ocasião as empresas propuseram um aumento de R$ 3,13, mas, em contrapartida, o prefeito João Cury Neto ofereceu R$ 2,60. As empresas chegaram a R$ 2,70 e o Conselho ofertou R$ 2,65, sendo o valor aceito pelas concessionárias e referendado pelo prefeito João Cury.

Engenheiro Vicente Ferraudo (foto), responsável pela pasta da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, revelou que durante as negociações, buscou-se o equilíbrio para chegar a um acordo, sendo colocado na mesa de negociação vários fatores, minuciosamente, avaliados. Disse que as empresas não poderiam ficar sem aumento, mas por outro lado, os usuários não podiam ser penalizados com uma tarifa alta. Então o número de consenso foi R$ 2,65.

Ferraudo diz que o aumento não foi repassado aos usuários ainda em 2013, em razão do acerto de documentação das empresas interessadas. “Agora tudo está dentro das normas especificadas e o aumento deverá acontecer nos próximos dias”, prevê. “Nessa terça-feira (8) vou ter uma reunião com o prefeito para acertar os últimos detalhes”, emenda.

Lembra que as empresas estavam sem reajuste na tarifa desde julho de 2011e nesse período houve aumento no preço do combustível e nas peças de manutenção e reposição; renovação da frota, assim como aumento da quilometragem percorrida, gratuidade e reajuste nos salários dos trabalhadores das empresas que foi de 15% somando 2011 e 2012, entre outros fatores.

“Por isso negociamos uma alternativa de reajuste para que as empresas tivessem condições de continuar prestando um bom serviço ? população sem prejudicar os usuários. Por força de Lei Municipal, as empresas teriam direito a um reajuste da tarifa a partir do dia 11 de novembro de 2012, mas isso não aconteceu e durante a negociação as empresas buscaram um valor que achavam interessante para ter mais lucro. Avaliamos todas as possibilidades e encontramos um patamar que agradou ambas as partes”, colocou Ferraudo.