MSL (Movimento Social da Luta) prepara nova invasão em Botucatu

Na manhã desta terça, 08, vereadores de Botucatu visitaram o acampamento do MSL (Movimento Social da Luta), que desde o último sábado,05, se instalou em área próxima à Ferrovia em Rubião Júnior. Os parlamentares foram dialogar com o líder do assentamento, Udenil Gonçalves, mais conhecido como Denis.

Entre explicações e debates, chamou a atenção uma declaração do líder do movimento, que uma nova ocupação deve ocorrer em Botucatu. Questionado pela reportagem do Acontece Botucatu, Denis não quis revelar quando e o local, mas garantiu que é uma fazenda dentro de Botucatu. “Não costumamos anunciar, quando e onde, mas é uma fazenda dentro de Botucatu. É uma área que consideramos que possa atender as demandas e necessidades”, disse.

Segundo Denis haverá o remanejamento das famílias, que desde o fim de semana se encontram em uma área da ALL. “ Muitas famílias aqui irão nessa nova ocupação. Se são todas não sei, vai depender da necessidade. Eu particularmente fico na cidade até a execução do nosso projeto, sendo que essa nova ação faz parte do projeto estabelecido para Botucatu.

Segundo a coordenação do MSL, aproximadamente 300 famílias estão assentadas em Rubião Júnior no acampamento chamado de Mahatma Gandhi. Os barracos se estendem até as proximidades da linha férrea. Não houve, até agora, nenhum problema mais hostil por parte dos assentados e população local.

Prefeitura não tem poder legal na reintegração 

A reportagem do Acontece Botucatu conversou com o Secretário de Negócios Jurídicos da Prefeitura, Dr. Antônio Aparecido Alves Cota. O advogado disse que o município não tem poder de intervenção na área invadida. “Como é uma área de domínio do governo federal, o município não pode agir legalmente. Cabe à Procuradoria Geral da União pedir a reintegração de posse. A prefeitura vai acompanhar de perto o caso, intervindo apenas se necessário”, disse Cota.

Visita dos vereadores 

Alguns vereadores estiveram nesta manhã para conversar Udenil Gonçalves. A iniciativa partiu do presidente do Legislativo, vereador Curumim (PSDB), que estendeu o convite aos demais colegas. Estiveram em Rubião Júnior, além do próprio Curumim, Reinaldinho (PR), Izaias Colino (PSDB) e Fontão (PSDB). Também estava presente o presidente da Associação dos Amigos do Vale do Aracatu (AAVA), Filipe Martins de Moraes, ele que também é vice-presidente Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Condema). Na ocasião todos conversaram e debateram com a liderança do movimento os desdobramentos da ação.

Relembre o caso

Um grupo liderado pelo MSL, Movimento Social de Luta, invadiu uma área pertencente a América Latina Logística, ALL, no distrito Rubião Júnior em Botucatu. Os acampados chegaram ao local às 5 horas da manhã de sábado, 05. “Nosso movimento é pacífico, bem organizado e vamos ficar aqui para conseguir legalizar essa área às famílias que não tem onde morar. Já fizemos um contato com o prefeito de Botucatu, mas ele está viajando e não pode nos atender. Na próxima segunda-feira (07), iremos falar com ele”, falou Udenil Gonçalves ao Acontece Botucatu.

Ainda segundo o coordenador, o MSL está em 42 municípios e neste sábado há ações parecidas com a de Botucatu em Bauru e Porangaba. Em Botucatu o acampamento foi batizado de Mahatma Gandhi. A Polícia Militar não registrou nenhum incidente relacionado à invasão.

Fotos: Júnior Quinteiro