Mais de 6,5 mil pessoas disputam 71 casas populares

Fotos: Danilo Ramos

 

O interesse da população em participar do sorteio que definirá os contemplados com as 71 moradias do conjunto habitacional Nova Esperança (Botucatu-H), em fase de construção no distrito de Rubião Júnior, superou as expectativas. O empreendimento é uma parceria entre a Prefeitura de Botucatu e a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

De acordo com a Secretaria Municipal de Habitação, 9.884 pessoas passaram pelo processo de agendamento, que aconteceu nos dias 7, 8 e 9 deste mês de janeiro, no Ginásio Municipal de Esportes. Desse total, 6.539 atenderam todas as exigências previstas no edital, e agora esperam pelo sorteio da casa própria. Se levarmos em consideração as cotas dispostas, os números finais ficaram segmentados da seguinte maneira: pessoas com deficiência (339 inscritos); idosos (571); indivíduos sós (736), policiais (8). Os outros 4.885 inscritos ficam no cadastro geral.

Os motivos que levaram 3.345 agendamentos não terem suas inscrições confirmadas foram os mais diversos: mais de uma inscrição por família; famílias que agendaram, mas após análise não se enquadravam e famílias que superavam a renda de cinco salários mínimos. O processo de inscrições de janeiro, é válido apenas para as 71 casas do Residencial Nova Esperança. Para os próximos conjuntos habitacionais, haverá a necessidade de novos agendamentos.

O secretário Municipal de Habitação, José Carlos Broto, enalteceu a procura, mas deixou claro, que o trabalho que vem sendo realizado, não irá parar. “Tivemos uma grande procura, a qual esteve dentro do que esperávamos. Mas sabemos que a demanda em Botucatu ainda existe, e continuaremos trabalhando, para que cada vez mais, as famílias de nossa Cidade, possuam uma casa própria”, concluiu.

 

Sorteio

A CDHU, em acordo com a Prefeitura, definirá a data e o local do sorteio das casas. Os inscritos receberão um aviso pelo correio, informando data, local e horário. No dia do evento também serão sorteados os suplentes que ficarão na fila de espera. Se um dos selecionados desistir ou não conseguir cumprir as exigências do edital, em seu lugar será chamado o primeiro suplente e assim sucessivamente até serem preenchidas todas as vagas.  A presença dos inscritos é obrigatória, pois a própria família irá colocar a cédula entregue ao fim da inscrição, na urna do sorteio.

Com custo de R$ 5 milhões, o residencial Nova Esperança está sendo construído ao lado do Residencial Caimã, no distrito de Rubião Júnior. As casas terão dois dormitórios, sala, cozinha e banheiro. As unidades contarão com piso cerâmico em todos os cômodos, azulejos no banheiro e nas paredes da cozinha e muro de divisa entre os lotes. O prazo de financiamento das moradias será de até 25 anos. As prestações serão calculadas de acordo com a renda familiar.