Empresa aciona shopping na Justiça por dívida de R$ 300 mil

Fotos: Luiz Fernando

?

Prestes a ser inaugurado (previsão para 29 de maio), o Shopping Botucatu está respondendo uma ação na Justiça movida pelo empreiteiro Ednaldo Moura da Silva (foto), responsável pela empresa PE Constrular, em razão de uma dívida que teria a receber no valor de, aproximadamente, R$ 300 mil, por diferentes obras de construção civil feitas no complexo.

Segundo ele o contrato de trabalho foi feito em outubro de 2013 e encerrado em março de 2014, por falta de pagamento. “Fiquei numa situação muito ruim perante meus funcionários por causa de atraso no pagamento e isso não é justo, pois eles trabalharam e têm direito de receber. Foram contratados por mim e não têm nada a ver com o contrato que fizemos com o shopping. Não vi outra solução a não ser entrar na Justiça para tentar receber o que me é devido”, colocou o empreiteiro.

Também revelou que na semana passada fez duas reuniões com os proprietários do shopping, mas não houve acordo. “Eles só aceitariam negociar o pagamento da dívida se eu retirasse o processo da Justiça. Como não aceitei ficou tudo como estava e eu continuo sem receber”, disse.

Ele também afirmou que em outras duas empresas os funcionários já teriam paralisado os trabalhos. “O Sindicato da Construção Civil intermediou uma negociação para evitar greve dos funcionários dessas empresas. A paralisação durou apenas algumas horas, com a promessa de que os acertos seriam feitos. Não sei se as outras receberam, mas eu não”, garantiu. “E sei que tem um restaurante que também está entrando na Justiça para cobrar uma dívida de R$ 80 mil”, emenda.

Silva afirmou que resolveu se manifestar após a divulgação da inauguração do shopping prevista para o dia 29 de maio. “Como profissional experiente em construção civil posso assegurar que não vai dar tempo (de ser inaugurado) nesta data, pois na parte interna do complexo falta fazer muita coisa. Só se colocar tapume nas lojas que ainda não estão prontas. Pelo que conheço do local a inauguração só seria possível com menos da metade dos espaços das lojas atendendo”, observou. “Também não acredito que as obras do estacionamento e a entrada para o shopping fiquem prontas a tempo”, acrescenta.

Desde que a reportagem do Acontece recebeu essa denúncia, há cerca de 15 dias, procurou entrar em contato com os responsáveis pelo shopping para que se manifestassem sobre as acusações feitas pelo empreiteiro e diversas solicitações nesse sentido foram feitas com o objetivo de fazer com que as duas partes envolvidas tivessem o direito de se pronunciar de igual forma. Porém, a jornalista Márcia Leite, da empresa Voice Comunicação Institucional que presta assessoria de marketing ao shopping, através de e-mail, ressaltou que os responsáveis (pelo shopping) optaram em não se manifestar sobre a denúncia feita pelo empreiteiro. O espaço, democraticamente,? continua aberto.

?