Diretor da Sabesp diz que obras do Hidroanel estão aceleradas

“As obras estão adiantadas, além do cronograma que estava previsto no contrato modelo firmado entre a Prefeitura e a Sabesp”. Este foi o comentário do diretor de Sistemas Regionais da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Umberto Cidade Semeghini, na visita técnica que fez ao município de Botucatu nesta quinta-feira para ver o andamento das obras do Hidroanel e outras obras na região. Ele esteve acompanhado do prefeito João Cury Neto, do superintendente da Unidade de Negócio Médio Tietê, Layre Colino Júnior, de autoridades locais e de outras regiões do Estado.

O Hidroanel é uma obra que irá substituir as antigas adutoras, que já não comportam a demanda do abastecimento da região norte da cidade e foi anunciada na primeira quinzena de maio deste ano, quando o governador Alberto Goldman esteve em Botucatu assinando o convênio de cooperação que autoriza a Sabesp a renovar o contrato de prestação de serviços de saneamento básico na cidade nos próximos 30 anos. O Contrato de Programa da Sabesp estabelece investimentos de R$ 102,9 milhões para o município.

“A segunda etapa das obras do Hidroanel de Botucatu tem a extensão de 8,5 mil metros de adutora, dando continuidade ? interligação do setor sul ao setor norte, com investimento total de R$ 6,2 milhões, com o objetivo de permitir que a Sabesp possa abastecer toda cidade com água potável de primeira qualidade”, observou Semeghini.

O trecho onde estão sendo assentadas as tubulações e citado por Semeghini, vai desde a Avenida Bento Lopes, em Rubião Júnior ? Avenida Dante Delmanto, no Jardim Eldorado, local onde também estão sendo construídos dois reservatórios com capacidade total de armazenamento de dois milhões de litros.

A expectativa da Sabesp é que até dezembro deste ano, a região norte da cidade comece a sentir o resultado desta obra, que minimizará a intermitência do abastecimento até então verificada. “Estamos executando as obras em ritmo bastante acelerado, de modo que até o final do ano a população, principalmente a da região norte da cidade, não tenha mais problemas com abastecimento e receba água de excelente qualidade”, previu Layre Colino.

O prefeito João Cury frisou que o contrato de 30 anos feitos com a Sabesp vai trazer muitos benefícios para o município. “O Hidroanel faz parte de um conjunto de obras que serão executadas nos próximos anos e a gente pode sempre dialogar com a Sabesp abrindo espaço para negociar”, ponderou o prefeito João Cury. “Fizemos a melhor escolha e o contrato foi bom para Botucatu. Os resultados já começaram a aparecer com o Hidroanel”, emendou.

{n}Estação de Bofete{/n}

Antes de visitar as obras do Hidroanel de Botucatu, Umberto Semeghini, com sua comitiva, passou pela cidade de Bofete, onde anunciou a conclusão da nova estação de tratamento de água da cidade, instalada na Rua Piauí.
“Essa nova estação em Bofete terá capacidade para tratar de 30 litros de água por segundo, um investimento de R$ 650 mil que assegura maior disponibilidade hídrica e, consequentemente, eliminação de eventuais interminências no abastecimento”, explicou o diretor de Sistemas Regionais da Sabesp.

Por: Quico Cuter
Fotos: Valéria Cuter