Defesa Civil realiza “Plano Preventivo de Verão”

Fotos: Luiz Fernando

Na manhã desta segunda-feira (10), visando a chegada da estação das chuvas, a Defesa Civil do Município e a Guarda Civil Municipal (GCM) iniciaram o “Plano Preventivo de Verão”, que se prolongará até o mês de março de 2013. Será um conjunto de ações baseado no acompanhamento das chuvas (de verão), permitindo tomar medidas preventivas que evitem ocorrências graves e até fatais. Estação caracteriza-se por chuvas fortes, muitas vezes, excessivamente, prolongadas ou acompanhadas por raios e vendavais, que geram prejuízos econômicos e sociais.

O plano é um convênio firmado entre o Município e Governo do Estado através da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil (Cedec), que encaminhou ? Botucatu materiais para uso dos agentes como 20 botas de galochas, 17 capas de chuva, 05 rolos de fita para isolamento de áreas, 07 lonas plásticas para cobertura, 30 coletes, um pluviômetro para medir a intensidade das chaves, um cone sinalizador, além de ferramentas como enxadas, pás e alicates.

O coordenador da Defesa Civil de Botucatu Paulo Renato da Silva enfoca que é neste período que a região sofre com a intensidade de fortes pancadas de chuva, gerando uma série de problemas como deslizamento de terra, destelhamento de casas, desabamentos, inundações, alagamentos, enxurradas, queda de árvores, entre outras situações de risco.

Grande preocupação da Defesa Civil é com relação ? s pessoas que residem em áreas consideradas de risco. “Estamos orientando a população quanto ao perigo de viver nestes locais e alertando para que durante períodos de chuva ao verificar qualquer sinal de risco de acionar o telefone 199”, ensina Paulo Renato. “Para nós a prevenção é a solução e em razão disso trabalhamos diuturnamente na conscientização da comunidade para minimizar riscos e propiciar atendimento ágil, rápido e eficiente”, emendou o coordenador.

Também está sendo feito um trabalho de conscientização para que municipalidade colabore com o intuito de minimizar o problema não desmatando as margens dos rios ou jogando objetos plásticos e madeiras em locais inadequados que acabam sendo levados pela enxurrada. Entende que a população pode nos ajudar muito se cada família cuidar do lixo de maneira adequada, os problemas serão minimizados.

“Estamos desenvolvendo as ações de monitoramento meteorológico, pluviométrico e vistorias técnicas de campo em áreas de risco com vistas ? retirada prévia de moradores de locais de risco iminente de deslizamento de terra e/ou inundações”, diz o coordenador da Defesa Civil. “Somente com a articulação dos órgãos estaduais, municipais e das forças de atendimento emergencial é possível prevenir e minimizar as conseqüências típicas geradas pelas chuvas”, conclui.

{bimg:36425:alt=interna:bimg}