Contratos do Residencial Flora Rica serão assinados

A Caixa Econômica Federal e a empresa Pacaembu Empreendimentos e Construções Ltda., com apoio da Prefeitura de Botucatu, realizam nesta terça-feira (12), a cerimônia para assinatura de contratos para a construção de 211 unidades habitacionais do Residencial Flora Rica, na região dos Comerciários.

A assinatura dos contratos com os mutuários acontecerá nas dependências do Ginásio Municipal de Esportes “Dr. Mário Covas Júnior”, ? s 15h30 e contará com a presença do prefeito de Botucatu, João Cury Neto, do gerente geral da CEF José Carlos Broto e de representantes da construtora.

O Residencial Flora Rica receberá um investimento de R$ 15.814.450,00 para a construção de 211 unidades de 45,64 m² com 2 dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço em lote de área mínima de 200 m² . O valor de cada unidade é de R$ 74.950,00. O prazo de financiamento pode chegar a até 300 meses e a previsão de execução do empreendimento é de 10 meses.

Na última sexta-feira (8) aconteceu a assinatura de contratos para a primeira etapa do Residencial Maria Luíza, que será construído na Rodovia Gastão Dal Farra e contempla 287 residências. Cada unidade terá 42,75 m² divididos em 2 dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. O lote tem área mínima de 200 m² . O valor de cada unidade é de R$ 64.000,00. O prazo de financiamento pode chegar a até 300 meses e a previsão de execução do empreendimento é de 18 meses. Serão investidos R$ 18.368.000,00. No total, o conjunto terá 817 moradias.

Os dois novos conjuntos foram viabilizados através do Programa Nosso Sonho, criado pela Prefeitura para impulsionar a política habitacional dentro do município. “É um momento de muita alegria saber que os futuros proprietários já estão assinando os contratos. Tenho certeza que vamos conseguir cumprir o desafio que lancei de construir uma casa para cada dia de governo”, afirma o prefeito João Cury Neto.

O total de investimento chega a R$ 34.182,450,00 e destina-se ? aquisição de terreno e construção de moradia para pessoas físicas com renda de 3 a 10 salários mínimos. As unidades se enquadram no Programa Minha Casa Minha Vida que utiliza recursos oriundos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).