Cidade contabiliza estragos causados pelas chuvas

Fotos: Valéria Cuter / Luiz Fernando

O prefeito João Cury Neto, juntamente com o coordenador de Defesa Civil, Paulo Renato da Silva e parte de seu secretariado estiveram nesta quinta-feira (17) fazendo uma vistoria aos locais mais afetados pelas chuvas que desabaram no Município na madrugada e manhã de quarta-feira (16), gerando grandes prejuízos materiais em casas e entidades que foram atingidas.

Durante toda esta quinta-feira, moradores onde as chuvas causaram muitos prejuízos contabilizaram as perdas e trabalharam para a retirada de toda a lama e dos objetos, principalmente, móveis que foram destruídos. Os rios também voltaram ao seu leito normal

Na tarde de quarta-feira, após as chuvas darem uma trégua, Cury convocou uma reunião para avaliar as ações realizadas pelas secretarias municipais e instituições que atuaram ao lado da Defesa Civil no atendimento ? s ocorrências registradas durante todo o dia. Participaram do encontro representantes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Guarda Civil Municipal e das secretarias de Assistência Social, Transporte, Governo, Comunicação, Transporte e Obras.

Apesar de alguns pontos ainda necessitarem de aprimoramento, como por exemplo, a coordenação de ação para evitar que locais sejam atendidos em duplicidade enquanto outros pontos ficam descobertos, a qualidade do serviço prestado ? população foi considerada positiva. O principal ponto a ser destacado é que apesar do grande número de ocorrências (70), o atendimento aconteceu de forma ágil e não foram registradas vítimas.

“Olhando para aquilo que a prefeitura dispunha em termos de recursos humanos, de organização, de tempo de resposta, melhoramos muito. Hoje estamos mais bem preparados. Há 15 dias, nos reunimos, já antevendo os problemas que enfrentamos hoje. E a gente tinha uma expectativa de saber na prática se aquilo que organizamos iria dar certo. Nós tivemos equívocos, alguns problemas de falta de fluidez melhor para onde ir, com quem falar, mas de uma forma geral a resposta foi muito melhor. Além de ter executado bem, essa avaliação rápida serve para corrigir erros e não voltar a cometê-los. Felizmente não tivemos registro de vítimas. Esse é um dado altamente positivo”, avaliou o prefeito.

“O que me deixa muito satisfeito é que todos os parceiros estão imbuídos do mesmo espírito e trabalharam muito. O Paulo (Renato da Silva, coordenador da Defesa Civil) teve um papel preponderante e tem sido uma referência no momento em que as coisas acontecem. Tem atuado preventivamente colocando em prática mecanismos de alerta ? população. A verdade é que a chuva virá. Cabe a nós estarmos preparados, para quando ela vier, possamos minimizar os prejuízos e garantir a preservação da vida das pessoas”, completa.

Nesta semana, Cury aproveitará uma audiência que já tem marcada no Palácio dos Bandeirantes para passar pela Casa Militar e verificar como andam os cinco pleitos de Botucatu que foram apresentados ? Defesa Civil do Estado de São Paulo. “Vou ver se consigo o mais rápido possível a liberação do governador para que possamos executar essas obras, que vão minimizar os prejuízos nos pontos mais críticos da cidade. Também vou aproveitar para solicitar a liberação de colchões para nossa Defesa Civil”, anuncia.

Quem também avaliou positivamente o atendimento prestado ? população foi o coordenador da Defesa Civil. “Essa reunião de avaliação é de fundamental importância, para aprimorarmos nosso trabalho e reforçar a importância da conjugação de esforços nos momentos de dificuldade como a Cidade enfrentou no dia de hoje. Passamos por uma prova de fogo para verificar se todo o planejamento na hora da execução seria cumprido. Estamos satisfeitos já que pudemos atender a população com agilidade, qualidade, minimizando os danos possíveis ? nossa comunidade”, declara Paulo Renato.

{n}Ponte interditada{/n}

Uma das ações da Coordenadoria de Defesa Civil de Botucatu foi interditar a ponte do Rio Capivarinha, na Rodovia Alcides Soares, principal via de ligação de Botucatu ao Rio Bonito/Mina/Porto Said. A ponte ficará temporariamente interditada em razão de avarias em sua cabeceira provocada pelas fortes chuvas.

“Até que os reparos sejam executados pela Secretaria Municipal de Obras, os motoristas deverão utilizar a rodovia Geraldo Pereira de Barros (SP 191) para acessarem o Rio Bonito, Mina e bairros adjacentes”, orienta Paulo Renato. “É importante que a barreira de interdição seja respeitada porque existe risco de desmoronamento do asfalto”, acrescenta.