Botucatu poderá receber a “Frente de Trabalho Rural”

Na tarde de quinta-feira (18), o secretário-adjunto de Estado do Emprego e Relações do Trabalho, Aparecido Bruzarosco, esteve presente em Botucatu para negociar o desenvolvimento de um projeto piloto no Município: a abertura de uma frente de trabalho rural.

Participaram da reunião o secretário municipal de Desenvolvimento, Wellington Lopes; o secretário-adjunto de Agricultura, Márcio Campos e o presidente da Comissão Municipal do Emprego e presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Botucatu, Carlos Negrizoli.

O programa “Frente de Trabalho” proporciona qualificação profissional e renda ? população desempregada e em situação de alta vulnerabilidade social. Os selecionados permanecem no programa pelo período de nove meses. A participação não representa vínculo empregatício, uma vez que o mesmo tem caráter assistencial e de formação profissional. A jornada de atividades é de até seis horas diárias, quatro dias por semana. No quinto dia, o beneficiário deverá frequentar um curso de qualificação profissional ou de alfabetização.

De acordo com Márcio Campos, a intenção do estado é que a Frente de Trabalho em Botucatu seja destinada, no primeiro momento, para os trabalhadores rurais que atuam na área de citricultura devido a grande crise que o setor está passando. “Para verificar o número de pessoas desempregadas nesta área, a Subsecretaria de Agricultura irá fazer um levantamento e encaminhar os dados para a Secretaria de Estado do Emprego e Relações de Trabalho”, explica.

A crise no setor da citricultura é causada pelas supersafras dos últimos dois anos e a redução mundial do consumo de suco. Segundo estimativas da Câmara Setorial de Citricultura do Ministério da Agricultura e da Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR), a perda da produção em 2012 deve variar entre 50 e 100 milhões de caixas da fruta.

Ainda de acordo com a CitrusBr, o excesso de laranja foi causado pela supersafra de 2011, quando foram produzidas 428 milhões de caixas, sendo que São Paulo reponde por 90% da produção nacional. A capacidade da indústria de processamento é de aproximadamente 247 milhões de caixas por ano. Em 2012, porém, os laranjais voltaram a produzir uma safra acima do esperado, cerca de 365 milhões de caixas. A CitrusBr também afirma que, desde 2000, o consumo mundial de suco concentrado caiu de 2,7 para 2 bilhões de toneladas.

O secretário de Desenvolvimento, Wellington Lopes, ressalta que a iniciativa do Estado deverá estabelecer parcerias entre a Prefeitura e os Sindicatos Rural, dos Trabalhadores Rurais e dos Comerciários. “O segundo passo do projeto será dado pelo Dr. Bruzarosco, que irá oficializar um pedido ao secretário de Estado do Emprego e Relações do Trabalho, Carlos Ortiz”, informa.