ARTESP diz em nota que não recebeu pedido por isenção de pedágio.Deputado se reúne com Agência na terça


Em reportagem veiculada pelo Acontece Botucatu nesta quinta, dia 10, o coordenador de engenharia da Concessionária Rodovias do Tietê, Bernardo da Silva, disse que a isenção ou não do pedágio em César Neto, abaixo da Serra de Botucatu, dependia da ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo). O pedido ainda não foi feito.
 
Na mesma reportagem foi citada uma fala do Deputado Fernando Cury (PPS), retirada de seu Facebook: “Existe a solicitação, e a Concessionária concordou, desde que tenha autorização da ARTESP. Faremos uma gestão junto ao órgão para que a isenção seja colocada neste momento”, colocou Deputado na última quarta-feira, dia 09.
 
No final da tarde desta sexta, o Deputado Fernando Cury confirmou que se reunirá na próxima terça, dia 15, na presidência da ARTESP, para formalizar o pedido. O encontro, que pode selar a isenção, está marcado para às 10 da manhã. Com enormes prejuízos diários, moradores e usuários pedem que o pedágio de César Neto seja liberado enquanto a Serra de Botucatu não for reaberta. As obras se concentram nos KMs 236 e 237, bastante prejudicados após o asfalto ceder no mês de janeiro.
 
Em nota enviada pela assessoria de imprensa ao Acontece Botucatu, a ARTESP informa que ainda não recebeu tal pedido. O que deve ocorrer na reunião da próxima terça. “A ARTESP – Agência de Transporte do Estado de São Paulo – esclarece que não foi enviado à Agência nenhuma solicitação para isenção de pedágio no trecho a que a reportagem se refere, ou em qualquer outra praça de pedágio dessa concessão’’, diz a nota.
 
Em contato com o Acontece Botucatu, o Secretário Municipal de Obras André Peres, disse que está finalizando o pedido que ainda será entregue na ARTESP, no próximo dia 15. “Estamos elaborando um documento que pede a isenção de pedágio em César Neto para as pessoas mais prejudicadas no momento. Também vamos pedir para a agência que a Concessionária assuma as melhorias da estrada Geraldo Biral da Indiana, uma vez que ela não se encontra no plano de concessão”, colocou André Peres.