Adiada duplicação da Rodovia Antonio Butignoli

A Rodovia Antonio Butignoli, que deveria ter sido interditada a partir desta segunda-feira (30) para receber obras de duplicação, está temporariamente liberada. A interrupção completa ao trânsito de veículos ainda depende de documentação da concessionária Rodovias do Tietê.

A Antonio Butignoli é de responsabilidade do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), mas a alça de acesso a ela junto à Marechal Rondon é de jurisdição da Rodovias do Tietê. Uma carta já está sendo encaminhada pelo DER, para que a empresa autorize a interdição deste trecho, o que deve ocorrer nos próximos dias.

A interdição da Antonio Butignoli foi decidida em conjunto após reunião no último dia 18 de junho entre representantes da Prefeitura, do DER, do campus da Unesp em Rubião, além da empresa Jaupavi, vencedora da licitação para execução da obra. Não há prazo definido para que esta interdição seja revogada.

No período de interdição, a ligação entre o distrito de Rubião Júnior e outros setores da Cidade será feito preferencialmente pela Rodovia Domingos Sartori que possui pista dupla nos dois sentidos. As autoridades entendem que o fechamento do trânsito na Antonio Butignoli é necessário para garantir segurança no local. Dados do DET (Departamento de Engenharia de Tráfego) apontam que dois mil veículos por hora passam pela região.

Faixas já foram instaladas em diversos pontos da Antonio Butgnoli, para alertar os motoristas antecipadamente sobre as mudanças. Os moradores e proprietários de imóveis às margens da rodovia terão acesso assegurado. O controle ficará a cargo da empresa responsável pelas obras. Além da segurança, outro benefício que poderá ser gerado a partir da interdição é a diminuição do prazo de execução da obra, que por contrato é de 180 dias.

A duplicação da Rodovia Antonio Butignolli será feita ao longo de toda sua extensão (1,8 km). O Governo do Estado investirá R$ 11 milhões na obra, pleiteada pela Prefeitura de Botucatu desde 2011. A obra incluirá construção de ciclovia e todos os dispositivos necessários para melhorar as condições de trafegabilidade e segurança. O projeto prevê ainda a construção de um viaduto que permitirá a melhoria do acesso ao campus da Unesp, à Famesp, ao Hospital Dia e a empresas importantes como a Caio Induscar e Irizar, além do Jardim Centenário.