Municípios de SP indicam melhores práticas para o turismo após pandemia

Pesquisa da Secretaria Estadual de Turismo com as prefeituras aponta medidas adotadas para minimizar os efeitos da crise no setor

Municípios de São Paulo estão buscando alternativas para minimizar o impacto da pandemia da COVID-19 no setor de turismo. Entre as iniciativas, destacam-se programas de crédito, reforma e limpeza de atrativos turísticos, incentivo a serviços de entrega, políticas de descontos e reorganização do calendário de festas regionais.

O Centro de Inteligência da Economia do Turismo, da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo, realizou em abril uma pesquisa com as prefeituras de 150 estâncias e municípios de interesse turístico para entender como as cidades têm se organizado neste momento e compartilhar as boas práticas, que poderão ser replicadas em outras regiões. O estudo levou em conta os dados de 201 entrevistas.

Em Jundiaí, por exemplo, a prefeitura criou o projeto “Deguste em Casa”, que cadastra restaurantes e empreendimentos de turismo rural para fornecer seus produtos via delivery ou por sistema de retirada no local. Entre os cadastrados há adegas, vinícolas, restaurantes e cervejarias.

Em São Francisco Xavier, distrito de São José dos Campos, um grupo de empresários criou o programa de “Voucher Sócio Econômico”, que concede descontos de até 20% em pousadas, restaurantes, lojas e outros estabelecimentos para serem usados após a crise. Parte da renda será destinada ao fundo de assistência.

O Programa de Crédito Turístico, criado pelo Governo de São Paulo para facilitar o acesso de empresas e prefeituras a linhas de financiamento oferecidas por instituições financeiras, também foi destacado na pesquisa.

A partir do levantamento, a Secretaria de Turismo listou as boas práticas indicadas pelos municípios:

1 – Reorganização do calendário de eventos e festividades, priorizando o adiamento em vez de cancelamento;

2 – Campanhas de conscientização para combater a COVID-19 e sobre os impactos no turismo, usando conteúdo digital, vídeos, cartilhas, boletins, tours virtuais, carros de som, informativos por mensagem de celular, orientações online e via telefone;

3 – Incentivo a serviços de delivery ou drive thru em propriedades rurais turísticas, bares e restaurantes;

4 – Reforma, limpeza e organização de atrativos turísticos;

5 – Atualização de inventário turístico, planos, materiais promocionais, organização de documentos, ações e serviços internos;

6 – Divulgação de campanha “não cancele, adie sua viagem”;

7 – Capacitação, treinamentos e reuniões entre trade, setor público, conselhos de turismo e agentes locais;

8 – Campanhas para doação de alimentos e produtos de higiene;

9 – Programa de Crédito Turístico do Estado de SP e outras políticas de crédito;

10 – Implantação de plataforma de venda online com suporte do setor público;

11 – Venda de vale-presente antecipado para serem usados depois da crise (pacote de viagem ou hospedagem, por exemplo);

12 – Bônus e benefícios para próximas viagens;

13 – Manutenção de salários dos funcionários de pousadas e estabelecimentos.